segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A Grande Viagem!

Naquela noite, a lua crescente brilhava. Estrelas eram como pontinhos prateados piscando num céu limpo. A sensação agradável do vento beijando a nossa face tornava aquela noite muito propícia para uma boa caminhada. O vento, o brilho da Lua, as estrelas, o céu limpo, a temperatura agradável deixavam claro, que aquela noite, era uma noite perfeita para uma grande viagem.


Sabíamos que aquele momento se aproximava. Sabíamos que ele tinha seus planos e claro que escolheria a melhor hora, a melhor noite, o melhor momento para partir.

Viajar é sempre bom e excitante. A emoção começa na arrumação das malas. O que levar? O que deixar? Escolhas. Sempre escolhas. Cabe na mala tudo que é nosso, tudo que nos foi dado, tudo que será útil. Deixamos pra traz aquilo que não nos pertence, que não nos será útil, que nos é pesado.

Ele já vinha preparando sua bagagem ao longo destes mais de 70 anos de planejamento. Sabia que era uma viagem longa e que seria muito importante estar preparado. Era nítido o esmero que dedicava a cada coisa que colocava em sua mala. Era evidente que sabia que precisaria fazer escolhas. A mala tinha sua limitação de espaço. Alguns descartes seriam mais que necessários, para que ele levasse consigo apenas o essencial.

Na mala ele dobrou cuidadosamente um tanto de paciência, algumas peças de serenidade, de alegria, outras de solidariedade e uma boa quantidade de perseverança, por fim deixou reservado um espaço maior para o amor e gratidão. Na hora de acondicionar tantas coisas, resolveu que não valeria à pena transportar tristezas, rancores e mágoas. Não caberiam também orgulho e vaidade. Preferiu trocar estas coisas por humildade e coragem. Seriam mais úteis ao longo de sua nova jornada. Tinha plena certeza que seria fundamental levar muita consigo e resignação também. Há coisas na vida que só com muita resignação para entendê-las.

De malas prontas, faltava marcar o dia e o horário da Grande Viagem. Precisava despedir-se das pessoas queridas e seguir, sem olhar para trás, sua nova jornada.

Foi assim. Ao longo de alguns meses, foi preparando cuidadosamente a sua despedida. Aos poucos ele foi abraçando e envolvendo aqueles que fizeram parte de sua jornada. Depois de uma ausência de uns 30 dias, ele retorna para celebrar o Natal, com sua família, saudar o novo ano que chegaria cheio de novidades e emoções. Resolveu apenas que não esperaria seu aniversário daquele ano. Melhor não. Não seria prudente adiar tanto sua ida. E resolveu assim.

Ao lado de todas as pessoas que o amavam. Que eram amadas por ele. As 22 horas e 22 minutos, do dia 19 de janeiro de 2013, chega o transporte especial e com sua bagagem muito bem organizada, ele adentra o veículo e segue, sem olhar para trás. Segue com a certeza de que está levando tudo o que precisa, que deixou as coisas inúteis para trás e que para cada pessoa que tanto ama, deixou muitas lições, amor, coragem e fé. Ele partiu, por que sabia que seus alunos estavam prontos para seguirem seus caminhos, sem os cuidados constantes dele.

Agora, era a sua vez de aprender e praticar. Numa nova escola. Num novo mundo.

Feliz Grande Viagem!

(Homenagem ao nosso pai e amigo Orlando Losso)

CARPE DIEM

Um comentário:

Anônimo disse...

Você foi muito feliz na sua narrativa; foi certeito no conteúdo da mala preparada para a grande viagem. Ele deixou a sua marca.E deve ter chegado bem ao ponto final.
Angela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...