quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Interesse - O primeiro passo

Mudar de casa, trabalho. Encarar um relacionamento do zero. Começar algo novo. Fazer algo diferente. Reinventar-se!

Pensar sobre estas coisas dá um certo frio na barriga, não é mesmo?

Somos por natureza, ligado à rotina. Ela, de certa forma, nos traz segurança. Nos orienta quando estamos no caminho certo. Logo, quando somos convidados a mudar algo em nossa rotina sentimos medo. Temos receio do que nos espera. Nada mais natural!

Existem mudanças que ocorrem contra as nossas expectativas e vontade. Já outras, escolhemos. Em ambas, convivemos com a incerteza de como será este novo.

E aí você me pergunta:  "O que faz o novo dar certo? ". Eu respondo: "Interesse!"

Quando temos interesse verdadeiro pelas coisas, por algo novo, por transformações tudo se encaixa e se resolve. A mudança começa com uma boa dose de interesse. Fé interior ajuda muito. Fé em si mesmo e numa força maior que rege o universo.

Com interesse nós neutralizamos os "sabotadores internos" de mudança. Sabe, aquele pensamento negativo? Aquela insegurança? Aquela falta de vontade de começar o novo? Pois é! São os tais "sabotadores internos" de mudança.

Com interesse estudamos mais, mudamos hábitos, criamos vínculos com pessoas que possam nos ajudar, aprendemos algo novo, enfim, nos movimentamos.

Com interesse aquele projeto que estava engavetado vira realidade.

Para começar algo novo, talvez você precise de muitas coisas, talvez você tenha muitas desculpas (sabotadores internos). É provável que uma barreira enorme se forme entre você e o novo. Só você sabe! Agora, de uma coisa eu tenho certeza. Por mais que você precise dos mais variados recursos internos e externos, algo sempre será essencial na sua transformação: O interesse!

Sendo assim, que tal se interessar um pouco mais por seus sonhos e objetivos e colocá-los em prática! Fica a dica!

CARPE DIEM

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

A vida se renova


É vida que se renova
É alegria que se celebra
Brilho de mãe
Do ventre a luz da vida
Mulher, mãe e guardiã do sopro divino
Benção transformadora
Do ventre a luz que brilha
Olhos que reconhecem o novo mundo
Mãos tateando o corpo daquela que a carregou
Boca que saboreia o mel maternal
Sorvendo o alimento que sustenta a vida
No mundo todos estão à sua espera
O novo amanhece sempre!
No pai, o porto seguro
Se a mãe carrega, o pai espera
Se a mãe traz à vida, o pai conduz
Se a mãe é o alimento, o pai é o acolhimento 
É vida que se renova
E o novo?
Amanhece sempre!
E do novo, nasce uma nova história
E do novo, nasce a luz!

CARPE DIEM

sábado, 8 de setembro de 2012

O Guardião da Luz!


Chegou num final de manhã de setembro.
O céu azulado deixava claro que quem chegava trazia uma mensagem de alegria
O sol nasceu diferente. Intenso e cheio de vida.
Seus raios penetraram todas as casas, todas as frestas como que anunciando:
- Ele chegou!
Naquele dia, todos comemoraram
Pessoas se aglomeravam nas avenidas de todo o País
Soldados marchavam festivamente
Crianças com seus bumbos, tambores e pratos
Coreografias desenrolavam-se pelas avenidas
Autoridades discursavam enaltecendo a Nação
E numa só voz se ouvia:
- Ele chegou!
Os mais próximos abraçavam-se fraternalmente
Lágrimas escorriam pelas faces
Lágrimas doces de alegria!
Ele estava lá!
Dizem que nasceu sorrindo. Crianças choram
Ele sorriu!
Parecia entender bem a sua missão de vida
Seria o Guardião da Luz um dia!
Seus olhos entregavam o brilho que trazia dentro de si!
Ser um Guardião da Luz significava proteger bravamente a alegria, o sorriso, a vida e o alto astral
Os anos se passaram e sua missão sempre bem realizada
Como que por mágica, ele renovava a esperança e dava força para aqueles que já haviam pensado em desistir da vida
Ele ajudou a buscar mais três vidas. Encorajou com sua presença
Ele estava presente quando mais uma pessoa estava prestes a se juntar à sua jornada: 
A menina, logo chegaria!
Dizem, que naquele 07 de setembro, tudo parou pra ele. Eu acredito!
E você?

CARPE DIEM

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Quando o novo bate à sua porta

Toc! Toc!

- Quem é? – pergunta você, curioso!

- É o novo, querendo entrar! – Responde uma voz que vem lá de fora

- Seja bem vindo! – Responde você , com certo medo

A vida é assim. Quando você menos espera, o novo bate à sua porta. Você fica naquele misto de deixo ou não deixo entrar. O que será que vem junto com o novo? 

Desafios, riscos, alegrias, incertezas e uma boa dose de medo. Um turbilhão de sensações o acompanha com a chegada do novo. O melhor mesmo é estarmos sempre preparados. Quando estamos acomodados, devidamente relaxados em nossa rotina, sentimo-nos seguro. Afinal, basta fazer o que sempre fizemos, estar onde sempre estivemos e pronto. Nada de mal nos acontecerá. Correto?

Ledo engano. Paradigmas nos cegam. Hábitos envelhecidos nos levam juntos e quando menos percebemos, ficamos para trás. 

“Então, tenho que mudar a toda hora?” - Me pergunta você. 

“Quando necessário, sim!” - Respondo eu.

“E quando eu devo atender ao chamado do novo. Quando devo abrir a porta?”  - Me pergunta mais uma vez.

“Quando você sentir que está pronto. Interessante que você nunca saberá. Porém, sempre sentirá” - Respondo finalmente.

Evite que o medo lhe domine. Que a mesmice lhe deixe acomodado e que a vida passe ao seu lado, sem que você embarque de cabeça, nela.

O novo bateu à minha porta. Eu abri. Seguro totalmente? Claro que não! E isso é muito bom! Segurança demais, atrapalha.

Que o novo seja sempre bem recebido por cada um de vocês!

CARPE DIEM

sábado, 1 de setembro de 2012

Companheirismo e Cumplicidade

Não existe vida a dois sem cumplicidade e companheirismo. Se por um lado a cumplicidade se faz necessária nos  momentos mais leves, o companheirismo marca sua presença nos momentos capitais e mais importantes do casal.

Da cumplicidade nascem as brincadeiras que só o casal entende. Pode se fazer presente num olhar diferente, num toque com os pés embaixo da mesa, um movimento de cabelo, um resvalar de cotovelos, naquela tarefa compartilhada de forma leve e animada. 

Da cumplicidade surgem as músicas que embalam o relacionamento do casal, os filmes inesquecíveis, os passeios que sempre são recordados. A cumplicidade das pessoas que se amam nada têm a ver com aquela que existe entre os que praticam crimes capitais. Eles são cúmplices sim. Porém de coisas boas e gostosas.

Assim como a cumplicidade, o companheirismo é fundamental para que um casal prospere e siga em frente. Companheirismo é o encurtamento das distâncias. Companheirismo tem a ver muito mais com seguir junto do que simplesmente se divertir junto. Companheiros de verdade, são amorosos enquanto apontam os riscos da jornada. Uma vez decidido seguir lado a lado, vão ate o fim. Solidários.

O companheiro está sempre por perto. Afinal, em caso de acidente, deverá se fazer presente na prestação do socorro imediato e solidário. Para um casal companheiro, em primeiro lugar vem o outro, depois o mundo.

Num relacionamento a dois, as coisas só funcionam de fato se houver companheirismo. Afinal, a vida a dois é o grande desafio do ser humano. É o compartilhamento de espaço, interesses e sonhos. O que é de um, também é do outro. E se o mundo gira, o casal gira junto. Ambos, sempre juntos.

Quanto mais o companheirismo e a cumplicidade se fizerem presentes no casal, mais leve fica a jornada. Fica mais fácil criar os filhos, mais fácil entender os parentes, mais fácil enfrentar os problemas.

Quando existe companheirismo fica mais fácil tomar uma grande decisão. O risco fica mais administrável. O outro se faz presente, se preocupa, ora, pede e principalmente torce, para que tudo sempre fique bem. Para ambos.

Que possamos ser e ter um cúmplice ao nosso lado. Que possamos ser e ter um companheiro em nossa caminhada. Sempre!

Dedico aos casais que conhecemos, que nos leem, que nos acompanham. 

CARPE DIEM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...