terça-feira, 30 de outubro de 2012

Halloween - A viagem do Saci aos EUA


Todo mundo sabe que Saci é danado demais da conta! Não é que o bendito do moleque de uma perna só resolveu conhecer os Estados Unidos? Pois é! Resolveu e bem resolvido!

E resolveu mais. Nada de redemoinhos, presepadas e magia. Ele iria para os “Estates” sim e do modo convencional. Com passaporte, trouxa de roupa e classe econômica, pois Saci não é um ser de muitas posses. Tudo conforme manda o figurino. Bem, quase tudo!

A confusão começou aqui no Brasil mesmo. Na hora de emitir o Passaporte. No primeiro contato com o agente, Saci percebeu que viajar do jeito certo iria dar um trabalho danado.

- Ei garoto! Aqui não pode fumar cachimbo. É proibido, meu filho!

- Seu moço! Eu sou o Saci! Não ando sem meu pito! Perco meu encanto! O senhor precisa abrir uma exceção!

- Eu entendo, senhor Saci! Mas tem uma lei nova que proíbe qualquer pessoa fumar em ambiente fechado! Se o senhor quiser, leio tudo que está escrito na tal lei!

- Então não carece eu apagar meu pito não. Eu não sou qualquer pessoa. Eu sou uma lenda! Tem alguma coisa nessa lei proibindo alguma lenda de fumar?

- Tem não, pelo que me lembro! É! Vendo assim, acho que o senhor pode ficar com seu cachimbo. Mas por favor, não abuse das baforadas. Eu posso perder meu emprego.

 - Continuando: - O senhor tem emprego fixo no Brasil?

- Tenho sim senhor! Sou lenda profissional. Protejo as florestas, os indefesos da mata e prego peças nos caçadores em nos homens malvados. Serve este?

- É! Acho que serve.

- O senhor vai para os Estados Unidos por qual razão? Turismo, trabalho, intercâmbio cultural?

- Fui convidado por minha amiga bruxa pra passar o Halloween por lá! Diz ela que é uma ótima data para pregar peça no povo! E também vou dar uma palestra sobre como dar nós em rabos de cavalos e roupas do varal! Querem ver como funciona a tecnologia do meu redemoinho também!

Depois de mais um tanto de perguntas, Saci tinha o seu primeiro passaporte e com visto tudo! Era o primeiro documento internacional de sua vida de lenda! A emoção foi tão grande que ele até chorou, quase apagando seu cachimbo com suas lágrimas.

No dia 30 de outubro, lá se foi Saci para o Aeroporto. Mais confusão a vista. Um trouxinha de roupa, com duas mudas reservas de short vermelho e gorros e algum fumo de rolo, do bom. Saci foi barrado no check in, claro!

- Meu senhor. Não pode viajar sem camisa e sua bagagem precisa ser despachada. Com esta vara segurando a trouxa não pode ir com o senhor na aeronave. Tem que ser despachada! 

- Mas dona! Aí tem duas pecinhas de roupa! Não pesa nada! O que diacho vou fazer eu com essa varinha? Faz assim! Eu quebro essa varinha e “tá resolvido”. Lá nos “Estates” deve ter uma varinha nova pra pendurar minha trouxa! 
Moça, camisa eu não uso não. Saci não pode usar camisa. Sente muito calor. Deixe Saci viajar assim mesmo! Eu só quero ver minha amiga Bruxa.Olha só! Eu já até apaguei o meu cachimbo, por que dizem que o diacho do avião cai, se tiver fumaça no danado! E eu que não quero cair lá de cima!

Depois de muita confusão no guichê, com o horário do embarque se aproximando e de tanta choradeira do Saci não houve remédio, a funcionária acabou liberando o Saci sem camisa mesmo e com sua trouxa sem a varinha.

No avião na hora da decolagem, sob os olhares dos curiosos, Saci estava na poltrona do lado da janela. Tão logo as turbinas foram acionadas e a máquina de voar começou a levantar do chão, foi aquela gritaria vindo de uma poltrona perto da janela!

- Valei-me Caipora! Valei-me Curupira! Salve Boitatá! Esse bicho vai cair! Credo e cruz! E o povo ainda tem medo do Saci! Esse bichão no céu sim, bota medo! Socoooooooooorro! Socoooooooorro!
- Meu senhor! Queira manter a calma. Assim o senhor assusta os demais passageiros. Fique tranqüilo. O avião é um transporte seguro. Vou buscar uma água para acalma-lo, combinado? – Disse a simpática comissária.

- Traga com açúcar, moça! Com bastante açúcar!

Passado o susto inicial e mais acostumado com a viagem, Saci agora era a atração do voo. A criançada o cercou, pedindo autógrafos (que tiveram que explicar pra ele o que significava) e todos queriam saber como ele fazia tantos truques. Um menino perguntou por que ele ao invés de avião, não viajava no seu redemoinho. Ele respondeu que queria ser gente por um dia.

Chegando lá, dona Bruxa tava animada esperando-o com sua vassoura, para levá-lo ao local do encontro das lendas americanas e para os preparativos da festa. Ele conheceu o Lobisomem americano, o Vampiro, o Frankenstein e outros monstros de todo o mundo que adoravam marcar presença no Haloween americano.

Saci tava que não se aguentava de alegria. Todos o tratando como se fosse uma estrela. Um diacho de um negrinho de uma perna só, fazendo tanto sucesso, pensava  enquanto ria das monstruosidades.

- Saci, e verdade que até criaram um dia pra você, lá no Brasil? - Perguntou, o Vampiro todo curioso

- É sim! Dia 31 de outubro. O mesmo dia do Haloween americano. Sabia que minha traquinagens uma hora daria o que falar! - Respondeu matreiramente o Saci. 

- Mas seu Vampiro, o senhor é mais assustador pela televisão lá do Sítio, que as vezes, espio. E o senhor Frank até que é simpático! Dona Bruxa, como alguém pode chamar a senhora de má? Tão hospitaleira, com esse sopão neste caldeirão.

Todos riam das piadas do Saci.

Naquele ano, o Halloween americano foi diferente de todos! Entre monstros e mitos    que fizeram suas travessuras daquela noite, tinha um negrinho, de gorrinho vermelho, cachimbo e de uma perna só, muito do animado, fazendo redemoinhos, pregando peças e dando boas gargalhadas! Foi uma festa!

Ficou tudo combinado! No ano seguinte a nova galera do Saci viria para o Brasil, para juntos se divertirem, no Dia do Saci e no nosso Haloween!

E viva o Saci! E viva o Halloween e toda a fantasia presente no imaginário de cada um!

CARPE DIEM

2 comentários:

Sonia disse...

Ficou muito bom Sá! Parabéns ao meu poeta ! é isso ai os americanos tem dia das Bruxas e nós dia do Saci!Lá em Paraitinga deve tar a maior festa , né?
Beijo

Natália Menezes disse...

Muito legal! A essa altura você já deve estar pensando em produzir uma linha de poemas, contos e crônicas infantis né?!?!!!! Bjoks! Sucesso sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...