quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O menino meio ave


Gavião Real -  Harpy Eagle (Harpia harpyja) na Serra das Araras (MT)
Ao meu amigo Ricardo Casarin, o menino meio ave

Aquele menino era meio mato, meio árvore
Era quase todo bicho

Na verdade ele gostava de ter asas
Voava paradinho no chão
Da sua lente descortinava cores
Do seus olhos vertia pios e cantos
Da sua boca brotava o silêncio
Muitas vezes ele foi confundido com o chão
Outras vezes foi visto misturado as raízes das árvores
Pessoa pra ele era bicho estranho
Preferia o esgueirar da onça
O bater de asas do Gavião Real
A molecagem dos macacos
De barulho preferia o da queda da cachoeira
Um dia pensaram que ele era leito
Depois concluíram que ele era margem
Desafio bom era subir serra
Descida parecia algo fácil, mas castigava os joelhos

"Pés de mato" enraízam quando demoram por lá
Bom seria levar um tiquinho de mata fechada para manter-se vivo
Um canto de passarinho
As penas do seu penar

Aquele menino, era meio mato, meio árvore
Era quase ave

CARPE DIEM

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...