sábado, 30 de abril de 2011

Iniciativa (ou sobre a falta dela) nos relacionamentos

Relacionamento sempre será algo muito desafiador. Manter um relacionamento depende de vários fatores, na verdade. Depende de afinidade, de interesse mútuo, de tempo, de dedicação, de amor mesmo.

Existem vários níveis de relacionamentos. Eles podem envolver amigos, familiares distantes ou próximos, colegas de trabalho, casais, animais, enfim, estamos nos relacionando o tempo todo e com graus diferentes de envolvimento.

Independente do nível ou do grau de envolvimento exigido, todos os relacionamentos são importantes, respeitando os seus contextos e todos exigem de nós, relacionados, uma dose de iniciativa e uma dedicação específica.

O que me fez refletir sobre este tema foi justamente a constatação de que tem muitas pessoas acomodadas em seus relacionamentos. Se antigamente se visitava um amigo, hoje no máximo, se passa um "scrap" ou faz-se um "comentário". Isso quando este contato não é coletivo. Praticamente um "spam" para amigos. Alguns conseguem no máximo mandar uma mensagem padrão, encontrada na internet e envia para "todos" (?) os seus mais queridos amigos. Realmente é mais prático. Talvez seja melhor que o silêncio. Agora, não seria algo frio e padronizado de mais? Amigos são padronizados mesmo? Bem! Sei lá. Sou antigo demais.

Muito bem, inventaram o celular e todas as suas funcionalidades e aquelas que não enviam mensagens pelas redes sociais, enviam os  tais torpedos pelo celular. Tudo bem que torpedo, segundo o dicionários significa um tipo de bomba. No Brasil também significa o envio daqueles "antigos bilhetinhos" de cantada no bar ou seja lá onde se estivesse.

No fundo isso facilita a vida, acomoda as pessoas e aos poucos reduzem-se as iniciativas para que os relacionamentos fluam.

Amigos vivem sem tempo. Filhos desaparecem das vistas dos pais. Namorados economizam na presença e investem nos elogios virtuais e por aí vai.

A vida de pais separados nesta nova era da apatia interpessoal reduziu-se a torpedos, mensagens e olhe lá. Por que ninguém quer sair de sua rotina. Onde já se viu, um filho ter que se dá ao trabalho de parar tudo o que está fazendo, pra ver um pai ou uma mãe que por decisão própria resolveu viver longe dele. Não dá! 

Será que este pai ou esta mãe não entende que a vida anda muito corrida? Que o amor deve ser subentendido? Que se o filho está aí no mundo, não foi ele quem quis assim e logo quem o colocou no mundo que trate de resolver isto, alimentando, garantindo moradia e subsídio para que ele enfim voe e deixe de dar satisfações para estes desavisados que o trouxeram à vida?

Se com os filhos, muitas vezes,  as coisas funcionam assim, deixo pra vocês deduzirem, como vão os relacionamentos entre irmãos, tios, primos e por aí vai. Estes têm menos tempo ainda e as desculpas funcionam melhor, por que aí sim, cada um tem sua vida.

E esta falta de iniciativa se resume a esta expressão: "Cada um tem sua vida!"

Pessoas que ignoram seus relacionamentos justificam esta falta de iniciativa nesta expressão. E faz com que elas toquem seus dias numa boa, sem se darem conta que aos poucos os relacionamentos se perdem, se deterioram, se tornam mais frios e que terá um momento, lá adiante, quando estas pessoas construirem seus próprios relacionamentos, tudo o que foi esquecido e perdido, fará todo o sentido. Muitas vezes esta descoberta acontece em tempo. Outras não. Bem... Mas isso é uma outra conversa!

Relacione-se. Tome a iniciativa algumas vezes. Pode fazer a diferença!

CARPE DIEM  

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Poema do Aeroporto

Chegada, embarque, filas
Ckeck in, despacho de bagagens
Sorriso, atraso, passageiro
Documento nas mãos, suas passagens

Companhia aérea
Infraero, ANAC, reclamações, pessoas
Correria, comissárias, um sorriso
Aviões, idas e vindas, coisas boas!
Atraso no vôo com destino ao paraíso

Gate, portão, letras e números
Detector de metais e objetos proibidos
Sonhos, lembranças e saudade
Trabalho, malas, laptops, homens corridos

“-Atenção passageiros, documentos!”
Normas, determinações, prioridade
Cartão de embarque, número dos assentos
Ônibus, bagagem de mão, pontualidade

Café, pão de queijo, guloseimas
Computadores, celulares, internet
Pouso e decolagens sem problemas
Novidades no front e no set.

Você já parou pra pensar de onde vêm tantas pessoas?
Pra onde vai aquele homem absorto?
Pois é! Diferente é pessoa em avião
Curioso é passageiro ansioso
Interessante é um dia num aeroporto!


CARPE DIEM
Bom voo!

domingo, 24 de abril de 2011

Pessoas invisíveis

Pessoas invisíveis. Talvez você pense que falaremos de algum herói dos quadrinhos ou das telas. Pois é. Não será de heróis fantásticos, com super poderes que falaremos e sim de pessoas que muitas vezes tornam-se invisíveis para algumas pessoas.

O gari que limpa uma rua ou uma praça e alguém passa por ele e sequer dedica-lhe um aceno, um olhar. Já vi pessoas literalmente atropelando um deles. Tem a copeira de uma empresa ou uma instituição pública que frequentemente é ignorada pelos visitantes e clientes do local em que trabalha. Lembre-se também do manobrista do estacionamento, do zelador do seu prédio, do porteiro, segurança da loja e por aí vai.

Pessoas invisíveis. Tem pessoas que entram num ônibus e nem percebe que tem uma pessoa dirigindo o veículo que o leva até o seu destino. Ah! Tem um cobrador (ou trocador) que recebe sua passagem. E se o passageiro tem um cartão eletrônico de passagens, piorou. Aí que ambos nem serão notados mesmo.

Tem pessoas invisíveis nos elevadores, nos táxis, nos hotéis, bares, restaurantes, nas casas que possuem domésticas, jardineiros e tantos profissionais importantes.

Recentemente, uma destas pessoas invisíveis salvou uma vida. Uma menina recém-nascida que tinha sido colocada no lixo. Um catador de latinhas ou de lixo que a encontrou. Talvez ele nunca existiria não fosse este fato. Este ato.

Seria bom que soubéssemos que estas pessoas invisíveis são importantíssimas nas suas funções e facilitam as nossas vidas e fazem o nosso mundo possível e mais belo.

Entramos numa nova fase de invisibilidade. Já temos pais invisíveis, que só são notados por seus filhos crescidos, quando precisam de algo ou quando acontece algo mais sério. No dia-a-dia, na correria rotineira tornam-se invisíveis. Quem sabe um dia eu os percebo, pensam estes novos filhos.

Deixemos este assunto para uma próxima vez!

Por ora, criemos um hábito de perceber mais aqueles que facilitam o nosso dia, combinado? E nem precisa dar gorjeta. Pode ser um sorriso ou um sincero agradecimento mesmo. É mais que suficiente!

CARPE DIEM

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Soneto à Terra

Oh! Nave mãe, nossa morada no espaço
Transporta-nos pela láctea via, nosso leito
Desperta este amor por ti, dentro do peito
Recebe de nós humilde abraço

Que nós homens fortaleçamos este laço
Que busquemos enfim, o amor perfeito
Que cuidemos de ti com mais respeito
Vem, oh! Mãe! Deita agora em meu braço

Água de rio, cachoeira, seres alados
Verdes matas, flores e frutos encantados
E o sol no horizonte o dia encerra

Cai a noite, chega a lua dos namorados
No seu dia, no seu colo abraçados
Nós falamos ao seu ouvido: -  Te amamos Terra!

CARPE DIEM

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Alegria!


Ela chega
Nos convida a sorrir
Rodopia
Espicha
Pula
Brinca
Gargalhadas ao vento
Sol brilha
Suave trilha
Ela convida
Pra vida
Demais!
Flores convidam
Perfumes
Costumes
Pegadas no caminho
Desalinho
Barulhos de rio
Agua corrente
De repente
Você reconhece
Essa face
Desenlace
Desfecho
Sorria! sorria
Você está diante
da pura magia
da poesia
da 
Alegria!

CARPE DIEM


terça-feira, 19 de abril de 2011

Todo dia era dia de índio!


Hoje é um dia especial. Dia do Índio, no calendário do povo "civilizado".

Além da bela canção de Almir Sater (Serra de Mracajú), deixo aqui humildes versos de gratidão e de reconhecimento às mazelas que causamos  ao nosso povo irmão.

São tantas as tribos, 
São tantos os povos
São tantas as histórias
São tão poucas as lembranças
Sabedoria da natureza
Cura que vem das plantas
Sede se mata nos rios
O vento nos faz recordar
De tempos que deixamos pra trás
De irmãos que fecundavam a terra
De filhos que nasciam dela
Em nossas veias correm o sangue
Dos Terenas,  dos Cadiuéus, dos Canindés, dos Aicanãs
Dos Guaranis, dos Xingus, dos Pataxós, dos Aranãs
Corre o sangue de centenas e centenas de outros povos
E se nossa memória cisma em esquecê-los
Nosso espírito os carrega em sua essência
Neste dia no calendário civilizado
Lembramos dos atos covardes praticados
Por outros de nós "civilizados"
Contra nossos irmão selvagens
Selvagem não vem de ignorantes
Vem de selva
Vem da natureza
Vem de sabedoria dos ventos, das águas, da terra e do ar
Vem de respeito ao curso da vida
Vem da vida em si!
Vem daquilo que éramos antes.
E se hoje somos "inteligentes" e nada selvagens
Poderíamos aprender um pouco com nossos irmãos
Cuidando e zelando pelos recursos naturais
Respeitando as hierarquias da vida
Reverenciando os mais velhos, ao invés de ignorá-los
Abraçar mais as nossas mães
Respeitar de verdade os nossos pais
Dar ouvidos aos nossos avós
Sim!
Hoje, para nós, é Dia do Índio.
Mas houve um tempo
Antes de nós
Em que todos os dias
Eram dias dedicados aos índios!
Perdoe-nos irmãos. Perdoe-nos!

Estamos num país onde se comemora todos os anos o Haloween e ao mesmo tempo pouco lembramos de no mínimo prestar uma homenagem aos nossos ancestrais e sim, os verdadeiros brasileiros, os índios.

CARPE DIEM

Acreditar



Todos os dias somos convidados a duvidar das pessoas, da vida, da natureza, de Deus ou de uma força maior que você carrega consigo.

Todos os dias, quando sintonizamos no noticiário do dia encontramos motivos para desacreditar que o bem seja possível, que a tolerância ainda exista e que solidariedade é algo praticável.

Todos os dias ouvimos pessoas falando ou fazendo coisas que nos deixam perplexas, de queixo caído.

E quando nos deparamos com o caos causado por ações da natureza temos a certeza que nada mais tem jeito.

A verdade não está lá fora, como costumava dizer certo seriado sobre o mistério da vida. A verdade está bem dentro. Dentro de cada um de nós. A verdade está no que podemos fazer diante tudo que nos rodeia.

E se começarmos acreditar um pouco mais em nós mesmos, no próximo, na bondade, em Deus ou naquela força que cultiva, na natureza, enfim na vida tudo se tornará cristalino bem diante de nós.

E será devolvendo gentileza enquanto recebemos agressividade
Doando enquanto muitos se negam a sequer saber o que se passa com o próximo
Abraçando quando alguns cruzam os braços
Preservando enquanto outros insistem em poluir
Acreditando enquanto a maioria teima em duvidar
Ressaltando as coisas boas ao invés das más
Sorrindo no lugar de cultivar o mal humor
Cooperando ao invés da ação egoísta
Que seremos capazes de transformar o nosso mundo

"Por que um mundo melhor e justo começa dentro de cada um de nós."

Sim! O verbo da vez é ACREDITAR!

CARPE DIEM

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Selo "ESTE BLOG NOS CATIVA" - Post Comemorativo (200 postagens)

Em 21 de outubro de 2008, surgia o "Sempre tem algo acontecendo" com a pretensão de tornar mais poético o cotidiano dos leitores casuais e seguidores. A nossa ideia sempre foi mostrar a beleza das situações simples, das relações humanas, das coisas que nos rodeava.

Queríamos mostrar que a beleza mora ao lado e que se cada um fizer a sua parte, todos ganham, inclusive o que age em prol do coletivo.

Queríamos mostrar a poesia, a graça e a magia  contidas num sorriso, num voo de um pássaro, num por do sol, num florescer, num luar, enfim, convidamos todos, durante estas 200 postagens a fazerem uma "colheita suave de seus dias" (CARPE DIEM).

No fundo eu aprendi com o tempo a reconhecer outros blogs queridos, a me encantar, com poesias lindíssimas, mensagens que me tocavam como eu gostaria de tocar a alguém. Eu não esperava receber tanto ao longo destes anos. 

Por isso o "Sempre tem algo acontecendo" tem a grande alegria de apresentar a vocês um "Selo Especial",  denominado "Este blog nos cativa". 

Ele foi criado para que possamos reconhecer e apresentar para tantos leitores, blogs que fazem a diferença para cada um de nós. Por serem poéticos, por serem tocantes, por serem espirituosos, por serem elevados, por serem especiais, enfim, por várias razões que nos tocam de maneira diferente.

As regras são bem simples:

Aquele que receber o Selo Especial "ESTE BLOG NOS CATIVA" deverá:
  • Exibi-lo na sua página, com o link do "Sempre tem algo acontecendo"
  • Presentear no mínimo 6 blogs diferentes, de sua preferência (todos deverão estar com seus links na sua postagem) para que outros leitores conheçam o quão importantes estes blogs são.
  • Colocar a imagem do selo, para que os blogs presenteados consigam salvá-la e presentear os blogs de sua preferência. 
  • Deixar uma mensagem carinhosa para que os presenteados possam receber o selo especial
  • Publicar essas regrinhas, para que possa ser replicada pelos demais
Simples, né?


Prepare-se. Este selo realmente é muito especial. Você terá ótimas surpresas de seus amigos, quando os mesmos receberem das suas mãos, com o carinho que sei tem por estes blogs e amigos.

Então vamos lá! Aqui seguem os meus presenteados desta vez:
Alma de Poeta, por meu amigo Vinícius
Ana Coutinho, pela mais recente mamãe do pedaço
Retalhos do que sou, por minha amiga Van
Flores e Livros por uma nova surpresa, Vivian
Mulher Arquitetando, por minha parceira da vida, Sonia
Giz Colorido, por  minhas queridas amigas Alice, Lu, Rebeca, Rê e Mauri
A Optimista, por minha amiga Diana Valentina
Amor Acordado, por minha nova amiga Carla Fernanda
Serendipity!, por Peônia
Costurando Estrelas, da minha amiga Noeh!
Blog do Macagnan, do meu amigo e espirituoso Macagnan e finalmente
Tudo que fica no ar, da minha amiga Débora Paixão.

Estes blogs acima, de alguma forma alegram ou inspiram o meu dia e com certeza, me cativam, cada um a sua maneira, ao seu estilo.

CARPE DIEM

sábado, 16 de abril de 2011

Se a União faz o açúcar, juntos o que fazemos então?


Bem...
Individualmente pouco fazemos.
Sem rumo dificilmente atingimos o nosso objetivo
Sem empenho nem saímos do lugar

Então juntos nós fazemos uma coisa bem simples: A DIFERENÇA!

A diferença:
·         Entre perder e vencer
·         Entre se acomodar e transformar
·         Entre improvisar e planejar
·         Entre se omitir e assumir responsabilidades
·         Entre ficar na mesma e inovar
Entre o abandono e solidariedade
Entre descaso e participação
Entre deixar como está e agir

Juntos nós somos muito mais!
Juntos nós fazemos mais que o açúcar
Nós fazemos toda a diferença!

CARPE DIEM

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Os sustos que a vida nos dá



A vida está aí pra ser vivida certo?
Ela nos dá inúmeras oportunidades
Coloca pessoas no nosso caminho
Tira algumas sem que entendamos a razão
Nos dá os sentidos para perceber a beleza que há a nossa volta
Nos dá pernas e braços que nos levam ou nos ajudam a realizar nossas tarefas
Enfim
A vida nos dá tudo!
Somos bem corridos
Somos bem ocupados
E muitas vezes não temos lá muito tempo pra ela
Ela que eu falo, é ela mesmo!
A nossa própria vida
...
Só que a vida é sábia
E sabe exatamente como fazer as pessoas acordarem
São pequenos presentes
Pequenos sustos
Sustos que tomamos diretamente
Susto que alguém próximo toma e nos afeta, por que amamos esse alguém
...
Na hora do susto ficam para trás
Diferenças
Orgulho
Pressa
...
Todos nós nos unimos para fazer o que devemos sempre fazer melhor:
Viver!
...
Obrigado Pai!
Pelos sustos diários
E pelos presentes depois do susto!
...
Abraço fraterno à todos
E celebrem a vida.
Há coisas mais importantes à sua volta, que sua tarefa, sua correria, suas coisas
Existem coisas que devem ser compartilhadas
Vamos colocar mais nosso nesse "meu"
Vamo colocar mais "nós" nesse "eu"
Vamos colocar mais abraços nesses braços solitários.
Eles se sentem bem demais abraçando!


CARPE DIEM

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Intensamente!


Entregue-se por inteiro
Sorria com alegria
Cante com energia
Olhe nos olhos
Abrace com vontade
Beije com paixão
Ande de cabeça erguida
Voe com o vento
Perceba os aromas
Sinta o paladar
Exercite a sensibilidade
Sinta o toque
Chore de emoção
Fale o que sente
Sinta intensamente
Perdoe verdadeiramente
Seja sincero
Compartilhe
Entregue-se
Seja inteiro
Viva cada dia
Intensamente!

CARPE DIEM

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Realengo - Um protesto (ou carta a Dilma)

Brasil, pátria querida
Por que deixaste que teus filhos sucumbissem indefesos?
Onde estavas quando os filhos do teu solo gentil sofria?
Onde vivem os que vos representa?
Quem são os indignos que te governam?
Nós sabemos bem quem são eles, pátria amada.

São os mesmos que nos pedem votos
Que dizem que nos representam
Que desviam verbas que seriam para evitar tragédias, como aquelas no mesmo Rio
Isso não tem nada a ver com o Rio, pois eles fazem isso no país inteiro
São os mesmos que esquecem que um país grandioso começa na escola
E por isso descuidam delas
Esquecem professores
Negligenciam estrutura
Desviam mais verbas
São aqueles que vão numa escola pública no máximo, para depositarem seus votos
Não sabem o quanto um pai sofre ao deixar um filho numa escola pública
Não sabe o quanto um professor sofre pra ensinar numa escola pública
E querem ser um país rico e grandioso
Quanta ironia.

Pátria amada, eu estudei em escola pública
Naquele tempo ela era digna de respeito
Figurava entre as melhores
Hoje é piada de filhos ricos e não tão ricos assim
Quem estuda em escola pública, numa roda de amigos, precisa esconder o fato
Nada de orgulho no peito.

Esta sim é a pátria que estes indignos construíram para nós
Brasil, pátria amada, expulsa do teu ventre
Estes párias
Estes biltres
Estes abutres do poder

São estes que estão por lá agora
Em Realengo
Decretando lutos
Indignados
Sofrendo dores inventadas (podem ser até verdadeiras neste momento)
Porém, ao virarem as páginas de seus jornais, pensarão na próxima viagem, no próximo refestelo, no próximo golpe que será dado nos filhos desta pátria, mãe gentil.
Gentil demais com essa sujeira toda.
Perdoe-me, patria amada e idolatrada.
Mas também sou filho dessa mãe gentil e como mais de 180 milhões de filhos teus, também sofro.

Sofremos todos por que sabemos que estes jovens serão esquecidos por estes que proclamam lutos e prometem coisas na hora da dor alheia.
Sofremos porque também temos filhos e sabemos que eles estão sujeitos a um acontecimento deste como os que se foram.
Sofremos pelos pais, professores, familiares, amigos e por todos os jovens deste país.

Na esperança de que existe um coração no peito de pelo menos uma mãe deste país, de uma mãe em especial, daquela que nos governa é que fazemos este apelo:

Mãe Dilma,
Compadece-te do ensino deste país
Das condições que teus irmãos políticos deixaram o ensino público
Envergonha-te, como mãe que és
E ages, como governante que és
Fostes colocadas aí, nesta cadeira
Não para agradar nações, políticos e parceiros
Também não foi para continuar a distribuir esmolas para teus filhos e irmãos
Sejas a mãe que deve ser
Educas teus filhos
Tira as esmolas e ensina-os a ganhar o próprio sustento
Sejas mulher
Sejas mãe
Durante os próximos anos, sofra todos os dias as dores destes pais, professores e filhos que se foram.
Ao invés de decretar luto, sentir muito e cumprir protocolos, sejas a mãe que esperamos
Trabalhes e transforme esse país numa potência do aprendizado.
Eu sei! É difícil, não é mesmo mãe?
Dever satisfações, favores, apoios e ter que compartilhar deste mundo que escolheste viver
Desvencilha-te mãe. 
Estamos contigo.
Sejas digna desta pátria mãe gentil
Sejas digna de nós!

CARPE DIEM

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Realengo - Um réquiem


Réquiem a Realengo

Hoje nós somos todos pais destes jovens que se foram
Somos todos irmãos destes jovens
Somos todos parte destas vidas interrompidas
Somos os professores assustados
Somos os alunos desesperados
Nossas dores não são apenas as nossas
Somos milhões de corações batendo na mesma dor
Somos os sonhos não mais sonhados
Somos os planos desfeitos
Somos os abraços perdidos
Somos um pouco de cada um de nós
Somos um pouco de cada um de vocês
Estamos juntos nesta dor
.....

terça-feira, 5 de abril de 2011

Tá esperando o quê? (Ou amanhã eu faço...)


  • De volta pra casa, poucos minutos para embarcar no ônibus, você perde o bilhete de passagem
  • Poucos minutos antes de ir embora do trabalho, o carro resolve não funcionar
  • Bem na hora de ir embora, cai aquela chuva e você sem guarda-chuva
  • Você lembra de ligar para alguém de última hora, seu celular está sem bateria
  • Momento inesquecível para ser registrado, você pega a câmera e as pilhas estão descarregadas
  • Você tem um vôo naquele dia, resolve fazer um check in via internet e descobre que seu voo avião já foi
  • Você pega um táxi pra ir mais rápido e o motorista não sabe o caminho
  • Você planeja estudar uma noite antes da grande prova do concurso e falta energia a noite inteira
  • Você marca um encontro e esquece o endereço no bolso de uma outra calça. Chega atrasado e a pessoa já foi embora
  • Você resolve comprar um presente de última hora e percebe que esqueceu a carteira em casa.
O que estas dez situações têm em comum?
Todas elas dizem respeito aos pequenos planos do dia-a-dia. Todas elas falam sobre "o amanhã", "o daqui há pouco", "o logo ali". São nossos pequenos planos de papel.
Nada de grave está considerado nestes dez acontecimentos. Apenas mudanças de planos.

Acontece que tem coisas que abrimos mão, por esperarmos demais, que normalmente não tem volta, como por exemplo:

  • Um pedido de desculpas pra alguém que talvez você não reveja
  • Um agradecimento a uma pessoa importante
  • Um abraço a um estranho que te ajudou na rua
  • Um "eu te amo" pra uma pessoa querida
  • Um "sinto muito" para alguém especial
  •  E por aí vai...
Olha só. A vida segue. Você planeja. Você se esquece. Você pensa que é eterno. Pior ainda. Pensa que o outro é eterno. Acredite! A vida passa mesmo e enquanto você planeja, deixa as coisas pra lá, tudo passa e tudo acontece bem embaixo do seu nariz!

E aí? Tá esperando o quê? Que alguém lhe diga que você está certo? Que entende que você é muito ocupado? Que acredita que você o ama em silêncio? Que tudo bem... você é o maioral?

Fala sério! Tá esperando o quê?

CARPE DIEM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...