terça-feira, 30 de novembro de 2010

Mercado Poético (ou no mercado de BH)

Em cada corredor, um pedaço de BH
Pessoas procurando coisas
Pessoas procurando pessoas
Um vai e vem típico de mercado
Onde de tudo se encontra
Onde tudo se perde, no meio do povo
Vários caminhos
Prosa de corredor
Passeio obrigatório?
De tão prazeroso é voluntário
Um olhar em tudo
Quer uma panela?
Preparar o almoço?
Um papo de boteco
Velhos amigos, com prosas saudosas
Ao fundo, falatório harmônico de boteco
Moreno! Mais uma cerveja aí?
Alemão! Mais uma?
Vai um fígado com jiló?
Um lugar com vida própria
No início da tarde, descanso merecido
O silêncio dos corredores
Nem se compara com o movimento de antes
Na penumbra de fim de dia
Ficam as panelas, o chão e os cacarecos
Alguns bebedores teimosos ainda se aglomeram
Nos corredores que descansam
Do Mercado de BH

CARPE DIEM

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sempre tem algo acontecendo


É certo que o sol sempre nasce
É certo que o sol sempre se põe
É certo também
que sempre
tem
algo
acontecendo
em algum lugar

CARPE DIEM

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Abraço de Ventilador (Ou A hélice e o eixo)



E eu te dou um abraço de ventilador
Onde tu és a minha hélice
e eu sou o teu eixo
e tu és capaz de voar
e eu te equilibro
e tu fazes uma linda viagem
e eu te trago de volta, para um lugar seguro
num vôo leve e suave
e tu corres pelo mundo
e eu te sirvo de bússola
e tu pulas, danças e brincas
e eu sigo contigo e te amparo
e tu fazes festa ao meu redor
e eu te aninho em meus braços
e tu sonhas um sonho bom
e eu faço parte dele
e tu queres conhecer tudo
e eu te mostro luzes e cores
e tu queres a vida mais incrível
e eu torço sempre por ti
e tu queres tudo sempre
e eu também
e giramos juntos neste abraço
onde tu és a minha hélice
e eu sou o teu eixo.


CARPE DIEM

domingo, 21 de novembro de 2010

Lá vamos nós!

Lá vamos nós!
Sim. Viver é mesmo fantástico! Se você olhar para trás, você perceberá isto. Tenha você vivido muito ou pouco até agora. Seja você novo ou mais maduro até agora. Perceberá quantas coisas aconteceram para que você chegasse onde chegou. Se tornasse, quem se tornou.

Tem um dia. Aquele dia especial que só você será capaz de identificar na sua linha da vida que ele se torna definitivo, decisivo, mágico. O dia em que você se torna livre de preconceitos, de medos, de pessoas que te colocavam pra baixo. Se sente livre de ter que provar algo para alguém. Livre para aceitar o que sente pelo outro, mesmo que este outro tripudie em seus sentimentos. Mesmo que você tenha a consciência de que ele é verdadeiro.

Chega o momento que você não precisa mais provar nada para ninguém. Principalmente para pessoas que são tão suas, que você jamais pensaria que precisaria provar algo justamente para estas pessoas.

No fundo, quando todos os outros o respeitam, o amam, o aceitam como você é, não é possível que todas estas pessoas estejam tão erradas ao seu respeito, não é mesmo?

Então chega o momento de tornar-se livre destas armadilhas que teimam em deixar você preocupado em como convencer pessoas queridas de que você realmente quer ser o melhor para elas. Mesmo que seja do seu jeito. Mesmo que não agrade tanto. Mesmo que seja totalmente diferente de todos os outros. 

Por que não é o seu jeito que determina o quanto você ama e quer o bem de alguém. É a disponibilidades. E é nesta hora que liberdade plena que é justamente determinada por uma certeza:

Sim. Você sempre esteve disponível para amar e ser amado. Sim. Você sempre  esteve presente na vida de todos. Mesmo que a memória do outro esteja um pouco curta. Mesmo que esta memória tenha se apegado a momentos não tão belos assim. Acredite! Eles existiram. E sempre existirão.

Brincadeiras de criança. Abraços verdadeiros. Companheirismo. Força e coragem. Apoio emocional. Tudo sempre esteve lá.

E neste momento você descobre que se alguém lhe impõe condições, lhe julga por seus erros, lhe aponta o dedo, mesmo você precisando muito destas pessoas. Relaxe. Estas pessoas ainda não estão prontas o suficiente pra você. Porque está presente quando tudo está bem, quando somos dóceis e gentis é muito fácil. 
E todos nós. Digo, todos nós, teremos novas chances. Seja nesta existência. Seja numa próxima.

Lá vamos nós! Rumo à felicidade!

CARPE DIEM

quarta-feira, 17 de novembro de 2010


Nós podemos mudar o mundo? Essa pergunta me acompanha há muito tempo. Agora, eu lhe pergunto: Nós podemos mudar o mundo? É uma pergunta que não se ouve todos os dias e que nem pensamos muito sobre ela.
Mudar o mundo. O que seria mesmo?

Pra começar seria interessante mudarmos à maneira como nos tratamos hoje em dia. Um pouco mais de proximidade, de preocupação com o próximo, com os nossos familiares. Hoje em dia tudo é descartável. É a cultura das coisas dinâmicas e urgentes. Não sobra tempo para mais nada e quando sobra nos perdemos diante de telas e olha que não telas de obras de arte. São telas de computadores, de celulares, de televisões modernas, de cinema. Somos uma sociedade vivendo uma grande era visual. Creio que nunca fomos tão dependentes do visual quanto hoje.

Quando olhamos uma destas telas, esquecemos de olhar para dentro de nós, para o outro.

Seria bom mudarmos nossa relação como nosso planeta. Ele precisa de nós e ainda não nos demos conta deste fato, verdadeiramente. Menos lixos, mais coisas reutilizáveis, retornáveis e renováveis para o bem da na nossa grande nave, que nos leva universo afora. Vivemos um apocalipse anunciado e cego é aquele que não quer ver e surdo é aquele que ignora os chamamentos do Planeta. E se por um lado somos visuais, por outro somos cegos para coisas importantes. Então que tal refletirmos sobre o que é verdadeiramente, consciência ambiental?

E a mudança mais importante deve ser voltada para a pessoa mais importante do universo: Você! O que anda fazendo por esse cidadão ou cidadã que possibilita com que você viva todos os dias, aprenda, cresça e sinta e viva coisas incríveis? Pois é. Olhe mais para você. Não de maneira egoísta.

Comece acreditando no seu potencial, na sua sorte, nas possibilidades que se colocam diante de você todos os dias. Afinal, a cada amanhecer é uma nova chance de ser feliz. Que tal colocar de lado os sentimentos que te colocam pra baixo? Já imaginou você mais ciente da sua energia e força? Você mais amoroso consigo e com o próximo? Diga mais eu amo você. Fará bem primeiro pra você mesmo e por conseqüência fará bem para o outro. Abrace mais. É bom! Beije as pessoas que lhe são próximas. Ligue para alguém que faz tempo que não conversa. Lembre mais de seus pais. Eles podem um dia não estarem mais ao seu lado, quando você se lembrar da próxima vez.

Agradeça o milagre da vida. Tem sentido alguém não querer para si a responsabilidade de ser pai ou mãe, mas é inadmissível que este fato, na vida de alguém não lhe emocione. Felicite pessoas que vão ter bebês. Elas ficarão mais felizes e você também! Mesmo que seja aquela amiga, que acabou o namoro e descobriu depois que estava grávida. Tragédia? Que nada. É vida. Já pensou se sua mãe e seu pai pensassem “que péssimo, estamos grávidos. Melhor nem deixar nascer!” Você não estaria aqui. Vivo. Entre todas as pessoas que você ama.

Por fim, eu lhe peço. Viva a vida. Intensamente e acredite individualmente, todos fizerem a sua parte. Nós mudamos o mundo. Afinal, a mudança começa sempre em nós.

A mudança começa em nós!

CARPE DIEM

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Preconceito


Segundo o Michaelis:
 
Preconceito: sm (pre+conceito) 1 Conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados. 2 Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente de experiência ou razão. 3 Superstição que obriga a certos atos ou impede que eles se pratiquem. 4 Atitude emocionalmente condicionada, baseada em crença, opinião ou generalização, determinando simpatia ou antipatia para com indivíduos ou grupos. P. de classe: atitudes discriminatórias incondicionadas contra pessoas de outra classe social. P. racial: manifestação hostil ou desprezo contra indivíduos ou povos de outras raças. P. religioso: intolerância manifesta contra indivíduos ou grupos que seguem outras religiões.
 
Após a eleição de Dilma Rousseff, uma onda de preconceito contra o povo nordestino se alastrou através das redes sociais e com o volume de informações que nos chegam através da internet, muitos leitores de manchetes, apenas reverberam aquilo que "acreditam" serem verdades absolutas: Dilma venceu por culpa dos nordestinos.
 
A liberdade de expressão está prevista na constituição, desde que esta liberdade não tenha cunho preconceituoso e comprovadamente danoso contra outros.
 
Vivemos num país com dimensões continentais e com diferenças regionais marcantes e nos tempo de hoje, com o acesso que temos a informação (o que não significa fazer bom uso dela ou ainda que quantidade significa qualidade) é inadimissível que ainda sejam alimentados movimentos separatistas, como se fossemos o país de A ou B. Somos um país só. De norte a sul. Do nordeste ao sudeste.
 
Por sorte, a sociedade tem acompanhado e agido contra estes desmandos nas redes sociais, enquadrando aqueles que incitam esse comportamento deprimente. Se por um lado existe o preconceito, não quer dizer que todos sejam preconceituosos. Tanto que algumas manifestações contra o preconceito vieram justamente das regiões onde ele teve início.
 
Creio que podemos fazer melhor. Podemos conviver melhor. Eu sei quem sou e sei de onde vim. Sou um nordestino, que vivo em São Paulo, desde a infância. tenho orgulho de minhas raízes. Porém tenho orgulho antes, de ser brasileiro.
 
Posso me considerar um sujeito de sorte, uma vez que conheço praticamente todo país e posso afirmar que existem pessoas maravilhosas em cada cantinho da nossa terra. Lindos lugares e costumes ricos.
 
Os radicais que me perdoem. Nada contra suas crenças e valores, porém façam isto dentro da legalidade e respeitando a individualidade e o direito do outro, combinado?
 
A ideia deste post não é levantar bandeiras regionais. É só esclarecer que preconceito é uma droga que faz mal a sociedade. Ele nos cega  e nos impede de ver o que existe de bom no outro.
 
Ah! Sobre a eleição de Dilma, vai uma informação relevante:
 
Dilma Rousseff não ganhou apenas por causa dos votos do Nordeste. Os nordestinos apenas aumentaram a vantagem que a futura presidente obteve no resto do País. Considerando o Norte, Centro-Oeste, Sul e Sudeste, ela somou 1.873.507 votos a mais do que o tucano José Serra. Dilma venceria sem os votos do Nordeste.



Mesmo no Sudeste, a petista teve 1.630.614 de votos a mais do que o tucano. Embora Serra tenha obtido 1.846.036 de votos a mais em São Paulo, ele perdeu no segundo e no terceiro maiores colégios eleitorais do país, Minas Gerais e Rio de Janeiro, respectivamente com saldo negativo de 1.797.831 e 1.710.186.

Bem é isso!

CARPE DIEM

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Raízes


Somos todos de algum lugar
Uma vez na Terra, 
Pertencemos originalmente ao lugar que nascemos
Nosso primeiro choro
A primeira vez que abrimos os olhos
Quem seriam aquelas pessoas?

Voltar ao lugar de origem
Dá uma sensação boa de "pertencimento"
De completude

Reencontro com o seu mundo original
Mudado você
Mudado o seu mundo
Porém o fato permanece
Um pertence ao outro
O lugar e o ser do lugar

Pés no chão
Nossas origens
Nossa terra
Nossas raízes

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Nas asas do vento...



Existem diversos tipos de viagem
Aquelas que fazemos no pensamento
Viagens sonhadas, numa boa cama
Viagens solitárias
Viagens a dois
Viagem a trabalho
Viagem a passeio
Viagem de carro, trem, moto, bicicleta ou a pé.
Viagem para fugir de algo
Viagem para ir de encontro a algo
Viagem para lembrar
Viagem para esquecer
Viagem para aprender
Viagem para conhecer
Viagem para reconhecer
Viagem para descansar
Viagem que deixa saudade
Viagem que nos faz relembrar
Viagens de reencontros
Viagens de novos encontros
Viagem emocionante
Viagem
....
Todas as viagens podem ser como você desejar
Sua viagem depende apenas de você
....
Boa viagem!
....
CARPE DIEM


terça-feira, 2 de novembro de 2010

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...