quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Paz e Luz pra você!

Sabe aquele em que você acorda e pensa, "Meu Deus, deveria ter ficado na cama!". Pois é. Eu hoje estava nestes dias.

Na verdade as coisas começaram a se atrapalhar no dia anterior. Um esquece uma coisa, outro não consegue outra, um outro se estressa e por aí foi.  Contratempos, mudanças de planos...E esta manhã foi uma continuidade desta trapalhada total.

Tinha um treinamento para realizar numa outra cidade. E logo cedo, esqueci algumas coisas, me atrasei. Chego no local do trabalho, pessoas com caras de poucos amigos. Atrasos...
Almoço em 20 minutos. Segundo tempo!
Pessoas mais atrasadas. Paciência!
O trabalho segue.
E caos recomeça.

Sabe aquelas pessoas que adoram tumultuar? Reclamam de tudo. E começam a falar sem parar e sem ouvir. Pois é. Tumulto causado e gerado. Energia pesada circulando. Energia pesada faz muito mal. Por que desequilibra o ambiente e as pessoas que nele estão.

Do nada metade da sala vai embora no meio do treinamento. Cada um por um motivo. 

Fica aquele clima estranho. Clima é algo estranho mesmo. Os que sobraram (inclusive eu) sem graça. 

Continuo. Tento reequilibrar os que restaram. O clima melhora um pouco. Porém o peso anterior foi mais forte. 
A pessoa que causou toda o desequilíbrio muda de tom. Fica mais suave. Estrago feito é estrago feito.

Pois é. Nem sempre acertamos. Hoje eu falhei no que faço melhor. Saí chateado. Um dia tão cansativo, em que fui com tão boa intenção, não chegou onde deveria ter chegado.

Hora de ir embora. Depois de ter errado o caminho por muito, chego ao Metrô. Estou lá, pensativo e até triste com tudo isso. Do nada um rapaz me fala, com um sorriso fraterno, na hora do meu desembarque: 

Paz e Luz pra você!

Tomei até um susto. Por impulso lhe respondi, tocando seu ombro: 

Pra ti também!

Desembarquei feliz da vida. Ouvi o que mais precisa ouvir, num dia daqueles. E de uma pessoa que nem sabia quem eu era. Demais!

Nosso anjos e protetores sempre estão por perto! Que demais, tudo isso!

E por falar em protetores:

Paz e Luz pra você!

CARPE DIEM

domingo, 26 de setembro de 2010

Presidenciáveis (Escolhas)


Juro que eu me esforcei para não falar destes eleições. Afinal, política, religião e futebol, não se discutem, conforme o bom senso nos orienta.

Abri uma exceção, uma vez que não vou discutir política na verdade. Vou, neste momento, apenas pontuar minha escolha para presidir o o meu país e explicar o que acontece por aqui, quando não escolho quem lidera as pesquisas há uma semana de votarmos.

Sinceramente, fico imaginando o que se passa na cabeça do brasileiro. O que o faz escolher Dilma Roussef? Qual o histórico desta personagem? Sim, por que Dilma é uma personagem, não é uma pessoa real. A pessoa que nos apresentam, como solução do país, não existe, meus queridos.

Na verdade, eu não escolheria Dilma, nem que ela fosse a melhor pessoa do mundo, para tal cargo, por motivo simples: evitar o continuísmo. Estamos há dois mandatos seguidos de Lula e seu partido, o PT e escolhê-la seria entregar mais um período ao mesmo partido e seu aparelhamento do Estado já conhecido por todos.

A renovação sempre se faz necessária. É importante para um País. Novas equipes, novos métodos, nova visão.

O outro candidato, José Serra, pode até ser bem intencionado, só que infelizmente não tem carisma algum. Uma pessoa que é incapaz de unir seu próprio partido em torno de sua candidatura, será capaz de unir as demais forças políticas em torno de um Programa de Governo? E as tais das promessas mirabolantes o complicam. Afinal, prometer demais é desespero.

Minha escolha por Marina Silva é simples. Uma pessoa com experiência de vida e política. Também vinda das classes inferiores, assim como o Lula. Mulher. Batalhadora. Com uma visão no futuro, enxergando que o crescimento se dará com respeito ao meio ambiente e ao homem.

Claro que ela não ganhará. Claro que ela não passará para o segundo turno. Porém não custa sonhar, não é verdade?

Eu estou com Marina Silva. Este blog está com ela. E sim, enquanto escolhem Dilma, alguma coisa está sempre acontecendo.

CARPE DIEM

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Amizades deste plano também aquecem o coração

O Macagnan é amigo daqui. Não o conheço pessoalmente. É verdade!
É impressionante como a rede tem um poder de criar laços. De manter laços. 
Por isso corrijo a frase inicial. O Macagnan é amigo daqui. E eu o conheço! Afinal, quem disse que é necessário conhecer pessoalmente alguém, para de fato conhecê-la?

Quantas pessoas conhecemos bem de pertinho e nunca sabemos quem realmente elas são, não é mesmo? Logo, conhecer alguém de fato depende muito mais de afinidade, de energia, do que propriamente proximidade. 

Bem... Esse amigo fiel e sempre presente por aqui, me presenteou com uma belo selo. Um poético selo. Por que nada mais poético que um chá, de ervas aromáticas, com um incenso de sândalo e uma música suave, bem ao fundo...nos embalando, numa tarde chuvosa e calma.

Vamos aos rituais. Sim...homenagens exigem rituais e aqui vão os rituais deste presente que recebo:

1. Fazer referência a quem me ofertou o selo:
Meu querido amigo Macagnan


2. Qual tipo de chá que mais gosta
Bem...eu gosto de chás mistos. Sempre faço algumas alquimia, do tipo cidreira, maçã e hortelã, por exemplo.


3. Quantas colheres de açúcar costuma colocar?
Não costumo usar açúcar no chá.


4. Indicar 6 blogs:
Vão os meus preferidos:
http://escritos-sonhados.blogspot.com/
http://gizcolorido.wordpress.com/
http://mundinhoalternativo.blogspot.com/
http://aoptimista.blogspot.com/
http://karinemelo.blogspot.com/
http://skills-forlife.blogspot.com/


Bem...é isso.


Agradeço mais uma vez o carinho deste meu amigo.
Espero que os meus indicados também fiquem felizes!


CARPE DIEM

sábado, 4 de setembro de 2010

Raízes e frutos


Tal qual uma árvore, dependemos do solo em que fomos plantados (nossa família), dependemos dos nutrientes do solo (carinho) para crescermos, necessitamos da luz do sol (amor) e da água da chuva (vida). Desta forma, fincamos nossas raízes e crescemos rumo ao céu. Nossos galhos despontam (relacionamentos) e inúmeras folhas brotam ao longo dos mesmos (experiências). E são estas folhas que nos definem, nos harmonizam.

Em alguns momentos uns galhos pesam um pouco mais, outras vezes perdemos galhos importantes em alguma tempestade e outros nascem para nos completar. Alegramo-nos a cada novo relacionamento de amizade e afeto conquistado e sofremos a cada relacionamento findado. Ao longo desta existência aprendemos que as pessoas sempre estarão em transição em nossas vidas. Nós mesmos, somos seres em transição.

Ainda imaturos, sofremos com as perdas terrenas. Com sentimentos oriundos desta crosta. Afinal, no plano espiritual a harmonia e a essência de cada ser é o que prevalece. Ninguém é de ninguém, enquanto posse. E sim, todos se complementam, numa grande corrente de energia em harmonia.

Nossa luta diária é manter nossa árvore forte, com galhos resistentes às tempestades e raízes fincadas no solo de nossa trajetória.

De tudo isso, no fundo, sobra-nos os frutos. Nossos amigos, filhos, projetos, boas ações, respeito ao próximo e amor fraterno.

Vale à pena cuidar de nós. Vale à pena buscar a harmonia, mesmo que em princípio ela venha disfarçada de caos. Afinal, é na desordem que estabelecemos uma nova ordem.

Um sentimento bom começa a surgir. É a sensação boa daquele quem está sendo verdadeiro e leal com sua história e com pessoas queridas. Que apesar, da dor orgulhosa do agora, uma alegria sincera, será entregue a cada um daqueles que carrega em si, o dom de ser feliz, de ser bom.

Quantos frutos bons e saborosos somos capazes de gerar ao longo de uma vida. E o desejo sincero que fica é que estes frutos se multipliquem e transformem dor em aprendizado.

Que a paz e a luz esteja com cada um que me acompanha.

CARPE DIEM


quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Memórias de um caminhante...


Um caminho
Passos lentos numa estrada que me levam ao meu destino
O que será que existe ao final deste caminho?
Perguntas habitam o meu coração
Qual a distância entre o hoje e o amanhã?
Como medimos a distância entre um ser e outro?

Por alguma razão meus pés me levam para lá.
Lá onde a lua descansa e o sol nasce.
Existe um mundo onde duas pessoas, lado a lado
Vivem a cada dia, mais distantes
Realmente a distância não se mede
Se sente.

Meus pés continuam a conduzir-me
É preciso desprendimento para entender o outro
É necessário renúncia para que o amor triunfe

O fato é que a distância é apenas uma defesa
Ela se alimenta das diferenças, cobranças e expectativas
É sempre complicado esperar mais do que se deve
A isto damos o nome de falsas expectativas

Meus pés continuam a conduzir-me
Caminho sem volta
Renovar
Recomeçar
Para que todos sejam felizes

Começamos a perceber que para renascer
É preciso retroceder.
É preciso implodir...para reconstruir

Qual fenix, seguimos queimando
E no final, uma nova ave surge
Novas aves

Os poetas cismam em rimar amor com dor
E meus pés me levam
Sigo.

Parece sem lógica
Mas as vezes fazemos alguém sofrer 
e sofremos pelo bem
Pelo amor ao outro.
Pelo amor a si próprio.

CARPE DIEM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...