sábado, 24 de abril de 2010

Pessoas anestesiadas...

Hoje eu me peguei com um pensamento intrigante. Como de hábito, me atenho as coisas que sempre estão acontecendo. Foi o mote que escolhi para este espaço. Primeiro olhei para perto, depois para um pouco mais longe e depois para o macro.

Algo em comum em todas as visões. Pessoas anestesiadas.

Como poderíamos definir alguém neste estado? Certamente ou você já foi anestesiado ou conhece alguém que precisou de uma anestesia ou pelo menos viu em algum filme, novela, seriado ou na internet, alguém passando por esta situação. Ok! Neste caso, você foi obrigado ou levado a este estado, por algum motivo de saúde. Era necessário não ter sensibilidade naquela parte do corpo ou no corpo inteiro, para determinada intervenção. Ok! De novo!

Agora imaginem alguém, viver anestesiado propositalmente ou pior, sem perceber sequer, que chegou a este estado.

A vida não está tão legal. As pessoas não são tão interessantes assim. O amor, bem...Este nem se sabe se existe. Está sol? Está chovendo? Está ventando? Nada toca estas pessoas.

Esta anestesia não está disponível nos hospitais e nem em casas do ramo. Esta anestesia, tem nome. Chama-se apatia.

E somos apáticos quando deixamos de agradecer pelas pessoas que temos a nossa volta.
Quando jamais pronunciamos um "Eu te amo pai" ou um "eu te amo mãe. Ou ainda, "eu te amo, maninha ou maninho."

Pessoas anestesiadas são engraçadas, por que elas nada demonstram, porém esperam que todos saibam e deduzam que claro, que ela as ama. E muito!

Pessoas anestesiadas imaginam que todas as pessoas são o contrário delas. Amam de montão. Sempre!

Pessoas anestesiadas sofrem de um efeito colateral que se chama eusouassimesmismo. Tem um nome complicado, mas quer dizer para nós mais ou menos isso: "olha eu sou assim, não estou a fim de mudar e me aceite como eu sou."

Pessoas anestesiadas sempre têm motivo para reclamar, para achar que têm de menos, que são vítimas, sofredoras e tantas outras coisas que possam depreciá-las. Claro que pessoas apáticas não têm sorte. Imagina! Ter que comemorar! Vibrar. Seria demais!

Pessoas anestesiadas como qualquer paciente  que passou por uma anestesia real, uma hora volta para sua condição de sentir tudo à sua volta. De sentir suas pernas, seus braços, seu corpo inteiro, seu coração.

Geralmente esta volta se dá num momento de choque. De perda. De algo irreversível! Pessoas anestesiadas são mestras do "tarde demais", de perguntas do tipo "por que não abracei mais?", "por que não beijei mais?"...De frases de efeito ou pensamentos mais de efeito ainda..."nem tive tempo...", "nem disse...", "nem fiz..."

E você aí. Está sentido-se anestesiado ou anestesiada?
Sintomas: vida passando depressa demais, amigos deixados de lado, pais, filhos, netos, irmão negligenciados, sua vida negligenciada, coisas que você amava, sem sentido.

Cuidado!
Se algo acima combinou com você, siga as orientações abaixo:
Antídotos: viva sua vida com a máxima alegria, abrace seus amigos, diga a sua familia o quanto ela é importante, sente-se com as crianças, seja bobo de vez em quando, retome seus projetos, tenha um projeto, enfim, ame de verdade.

Por que a vida é uma só e na boa...não dá pra passar parte dela anestesiado. Dá? Não dá! Vamos combinar, né?

CARPE DIEM!









3 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá Samuel! Esta semana estou divulgando uma “nova” postagem. Trata-se de um conto; que na verdade vem a ser uma reedição de meu blog. Sua postagem original ocorreu em 13.02.09; sendo esta a minha terceira postagem no blog. Naquela ocasião este texto não recebeu nenhum comentário. O texto é “O Sr. e o Dr.”. Espero que você, tendo um tempinho, o aprecie.
Um grande abraço, minha gratidão antecipada!

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

blogdomacagnan disse...

As pesoas anestesiadas parecem um pouco com as "pessoas-muralha". Quem as vê por fora parecem pessoas fortes, imbatíveis e inacessíveis. Porém quem consegue ver por trás das altas muralhas encontra um anão com medo de quem e do que está fora das muralhas que ele mesmo construiu.

Abração do Macagnan!

jefhcardoso disse...

Olá Samuel! Venho agradecer por seu apoio ao meu blog e por conseqüência a minha escrita. Achei importante dizer o quanto me tem sido fundamental o seu incentivo. Assim, deixo aqui registrada a minha gratidão e lhe desejo um final de semana excelente; com muita poesia e boas histórias; tudo em tempo real. (sorrio).

Abraço do Jefhcardoso

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...