quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Reclamar ajuda?

Vocês perceberam como adoramos reclamar? De tudo e de todos? Reclamamos de qualquer coisa!
Reclamamos do trânsito que pára, do ônibus que atrasa, do metrô que está cheio, dos preços daquilo que compramos.
.
Reclamamos dos nossos amigos, dos nossos familiares, dos nossos colegas de trabalho. Reclamamos dos nossos superiores, na empresa.
.
Claro que reclamamos dos governos, da temperatura, do calor, da falta de chuva, do frio, da falta de chuva.
.
Reclamamos da falta de compreensão, da falta de amizade, da falta de qualquer coisa.
.
Reclamamos! Ufa! Como reclamamos!
.
Bem, até aqui eu contei 11vezes o termo "reclamar" (incluindo este aí do lado e o título do post).
Chega, não é mesmo?
.
Por que no fundo, essa atitude não adianta muito, ou melhor, muitas vezes de nada adianta ficarmos usando deste artificio para justificar certas situações e atitudes nossas. Isso é um fato!
.
Na verdade, essa atitude é uma forma de julgarmos o mundo, as circunstâncias, o outro e a vida.
.
E até que se prove o contrário, nós não temos a menor capacidade de julgarmos nada com total sabedoria e imparcialidade.
.
Para que possamos fazer um julgamento justo precisariamos conhecer todas as variáveis de uma situação, inclusive as emocionais. Vamos a um exemplo prático:
.
Imagine que você está andando pela rua, e de repente você se depara com duas pessoas discutindo. Uma pessoa mais forte que a outra. No momento que você passa ao lado delas, a pessoa mais forte grita grosseiramente com a outra, que nesse momento começa a chorar. Qual é a sua reação ou no minimo pensamento natural?
.
- "Nossa! Que pessoa grosseira. Como pode fazer isso a tal pessoa, que se mostra mais frágil e tem menor poder de reação!"
.
Ou seja, você toma um dos partidos. Agora pense comigo. Antes disso, você conhecia as duas pessoas? Você sabe exatamente o que originou a ira (injustificável) de uma dessas pessoas? Você sabe o que a primeira pessoa disse ou fez a segunda para que ele respondesse de maneira grosseira? Você sabe qual a história de vida dessas duas pessoas, considerando aqui, formação familiar, cultura, crenças e valores?
.
Percebe, como é dificil julgar. Percebe como nos lamentamos sem muita razão, na maioria das vezes?
.
E se você, ao invés de reclamar, começasse a buscar dentro de si, algumas respostas. Mudasse suas atitudes em relação as coisas  e pessoas que muito lhe incomodam?
.
E pra tudo tem uma solução. Acredite!
.
O trânsito está insuportável? Saia mais cedo de casa, tente um caminho alternativo. Vá de carona;

.
O ônibus atrasa sempre? Procure pegar um antes, pra que você não chegue atrasado ao seu compromisso.
.
Aquela pessoa te incomoda? Reflita sobre o quanto você incomoda alguém. E descubra porque tal pessoa age dessa ou daquela maneira;
.
Você acha que seus pais exageram nos cuidados contigo? Converse com eles, demonstre seu amadurecimento com atos e palavras maduras;
.
Tudo começa e termina em você! Confie nessa premissa e muita coisa se resolverá e ficar bem mais fácil de conviver, a partir de então.
.
Ah! Essa chuva! Com certeza reclamar não fará com que ela pare. Então? Que tal aproveitar e contemplar o que ela pode lhe oferecer!
.
CARPE DIEM

Um comentário:

Lice disse...

"Tudo começa e termina em você!"

Que as nossas reclamações deem lugar à ação de graças.

Afinal, sem dúvida, nos sobram muito mais motivos para agradecer do que reclamar!

Lindos posts!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...