segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Que venha 2009!

Ano novo é muito bom!
Imaginem se o tempo não fosse contado?
E se nem existem horas, dias, semanas, meses e principalmente os anos?
E os "anos" são como viagens longas ao sol.
365 quilometros de estrada!
E quando nos aproximamos dos quilometros finais! Que alegria! Estamos quase lá!
No nosso destino! Um novo ano! E estamos prontos pra aproveitá-lo...
E nessa estrada chamada "Ano 2008" muitas coisas aconteceram.
Algumas nos cansaram.
Outras nos entristeceram.
Certamente muitas nos alegraram.
Ficamos perplexos com algumas coisas, que alguns homens ou mulheres foram capazes de fazer contra si e contra o outro.
Se bem que é verdade que muitas coisas bonitas foram feitas por outros homens e mulheres.
Apenas não viraram notícia!
Coisas agradáveis não dão muita audiência.
Sabemos disso!.
E pessoalmente, cada um de nós, caminhou de um jeito nessa estrada.
Muitos viram flores e outros perceberam mais os espinhos.
Alguns foram prudentes e não permitiram que ervas daninhas crescessem em seus corações.
Por isso não cultivaram rancores e nem mágoas.
Tudo muito bem resolvido.
Foram pessoas que sempre olharam para frente e perceberam que tudo é ensinamento...
Outras remoeram algus fatos desagradáveis e cultivaram-no por algum tempo.
Agora, não importa qual foi a sua atitude.
Estamos nos ultimos quilometros dessa viagem!
Prontos para a Nova Estrada chamada 2009!
Com um letreiro grande no seu início escrito "SEJA BEM VINDO!"
Meus queridos que me acompanharam aqui no meu modesto blog, desejo que vossa caminhada seja agradável, as energias renovadas e os sonhos realimentados.
Cada um é capaz de realizar aquilo que acredita e se propõe!
Por isso, vou evitar os chavões!
Você aí, que está lendo, sabe bem o que quer e até onde é capaz de chegar!.
CARPE DIEM!
Algo me diz que 2009 será um verdadeiro espetáculo!
SEU!
Amo vocês todos!
Até 2009!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Arquitetando sonhos....


Hoje é dia do Arquiteto. Dia do Engenheiro tanbém.
.
E o que é arquitetura?
Arquitetura pra mim é a poesia do desenho
A métrica das paredes
A rima das cores e formas
Os versos dos jardins
As estrofes de um sonho realizado
O arquiteto é um artista. Um poeta!
.
Além de artista ele também é um gênio sem lâmpada...
Você chega lá, com suas ideias, buscando o seu modelo de casa..
Aquele que é a sua cara, o seu jeito...
O arquiteto, como um mago, linha após linha
Traço após traço concretiza o que até então era abstrato
E naquelas linhas e traços estão seus sonhos
.
Será ali que você viverá os grandes momentos de sua vida
Seus filhos crescerão
A pessoa amada sorrirá muito ali
Talvez até chore algns dias
Porém tudo acontecerá envolto por essas linhas e traços
.
E como num passe de mágica
Se transformarão em paredes, cores, luzes...
Quadros comporão o ambiente
Flores e plantas alegrarão o seu jardim
Brinquedos para as crianças
Escritório para as "crianças grandes"
Quartos aconchegantes ou românticos
Uma sala onde você passará horas e horas com sua família
Lindo tudo isso, não é mesmo?
.
Graças a magia e o amor do arquiteto por sua arte!
.
Que cada arquiteto receba lindos poemas, de seus clientes e amigos, neste dia!

Aprenda a voar...



Aprender a voar com as próprias asas é muito mais que uma metáfora.
É um conselho sábio.
Aprender a cuidar da própria vida.
Ser responsável por seus atos e percalços.

Chega um momento, em nossas vidas, em que uma voz sussura ao seu ouvido:
"Voa! Agora é contigo!"
E sentimo-nos como pássaros filhotes, soltos pela mãe águia, do alto de um pico, pronto a despencar, espatifar-se no chão. Aí, o milagre acontece! O movimento das asas, o sincronismo, o vôo desajeitado no início.
Em seguida, a sensação de liberdade!

A vida é a nossa mãe águia.
Uma hora, cedo ou tarde, ela nos pega em seus braços, nos leva a um pico, bem alto, e nos solta!
E nós voamos! Nós voamos!
Liberdade!

Tem uma música do Edvaldo Santana, chamada Zensider, interpretada pela Titane, cantora maravilhosa, lá das Geraes, que fala assim:

Aprenda a costurar
As suas próprias roupas
Quando as flores
Forem poucas
Quando a brisa do inverno
Varrer sua casa
Aprenda a voar
Com as suas próprias asas

Em caso de cansaço
Sente-se
Como um tigre
Imóvel
Ao relento
Atento
Ao soprar do vento
Pode ser
Aconteça
Uma flor de lótus
Floresça
Na lama dos seus olhos

Aprender a costurar as suas próprias roupas...
Quando as flores forem poucas...
Lindo isso, né?
Desejo um bom vôo pra você e se a vida o desafia, só lhe resta uma alternativa: aceite esse desafio e voe!
"Pode ser que aconteça, uma flor de lótus floresça, na lama dos seus olhos..."

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Sonho que se sonha só...


Sonhar é bom. Sonhar é muito bom, na verdade! Lá, nos sonhos podemos ser quem queremos ser de verdade. Aventuras infinitas.
Podemos correr muito rápido ou até mesmo voar!
Podemos sonhar em cores ou em preto e branco. Tanto faz!
O que vale mesmo é a grandeza do sonho!
São os sonhos que movimentam a nossa vida.
Podemos ser realistas, centrados, equilibrados, planejadores ou qualquer outra coisa racional
Porém, sem os sonhos, nada disso tem valia.
Essas qualidades todas existem para que possamos colocar em prática, os nossos sonhos.
Então, uma coisa não existe sem a outra.
Algums gostam de chamar seus sonhos de "projetos".
Outros adoram chamá-los de "metas".
Outros chamam seus sonhos de "objetivos".
Existem os idealistas. E para estes o seu grande sonho se transforma em "missão de vida"!
Os românticos chamam seus sonhos de " desejos".
Eu chamo sonho de sonho mesmo!
Independentemente de como você classifica ou nomeia o seu sonho. Viva-o intensamente e aqui vai uma receitinha básica pra que um sonho se concretize:
COMPARTILHAR!
É isso mesmo. A relização de um sonho começa por essa palavra: Compartilhar
Sonho sozinho é devaneio. É dúvida. É loucura!
Quando compartilhamos o nosso sonho, as chances de realizá-los aumentam e muito!
Podemos compartilhar primeiro, com um caderno, uma agenda, uma tela de computador.
Depois podemos compartilhar com aquela pessoa que sempre está ao nosso lado.
Que ouvirá sem nos julgar. Apenas nos emprestará o seu ouvido.
Depois podemos ajustá-los ao mundo real e compartilhar sua realização.
E pronto!
Você logo terá mais um sonho realizado.
Compartilhe!
E como diria Raul Seixas, em sua música Prelúdio:
Sonho que se sonha só
É só um sonho que se sonha só
Mas sonho que se sonha junto é realidade
Então, vamos sonhar juntos?
Eu vou compartilhar com você, que lê agora essas linhas, um sonho meu.
Eu sonhei, esses dias, que seria um grande escritor.
E com meus escritos eu ajudava outras pessoas a sonharem.
Elas conseguiam conhecer outros mundos, outros valores, outras virtudes.
E nesse sonho eu estava muito feliz por ter realizado meu sonho.
Você quer sonhar comigo?
Agradeço de coração. Em meu nome e em nome do meu sonho.
Um grande beijo no coração de vocês e bons sonhos...

CARPE DIEM

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Gentileza gera gentileza..

Gentileza, segundo o Aurélio é:
1. Qualidade ou caráter de gentil; 2. Ação nobre, distinta e amável; 3. Elegância; 4. Amabilidade, delicadeza.
Que tal sermos um pouco mais gentis com as pessoas que nos cercam? A correria que escolhemos para nós, leva-nos a praticar a indelicadeza e a intolerância e, dessa forma, agimos sem a mínima elegância com muitos que passam por nós. Então ó que seria gentileza, na prática?
Bem, na prática é muito simples sermos gentis. E aproveito aqui para dar alguns exemplos de atitudes gentis, no dia-a-dia de cada um:
  • Desejar um bom dia para um vizinho, que acabamos de encontrar, no elevador, nas escadas do prédio, na saída do portão de casa ao invés de ignorá-lo, como se tratasse de mais um objeto na paisagem;
  • Abraçar seus filhos e dizer-lhes o quanto são importantes e o quanto os ama; Abraçar seus pais e falar a mesma coisa ao invés de deduzir qu eles conheçam os seus sentimentos;
  • Desejar boa sorte para aquela pessoa que você sabe que enfrentará algum desafio, em breve (uma prova, um teste, um primeiro dia de emprego, uma cirurgia, etc.) ao invés de pensar que estará incomodando a pessoa;
  • Abrir a porta do carro para uma mulher ao invés de pensar que está sendo antiquado;
  • Carregar as sacolas mais pesadas, para ajudar sua esposa, mãe ou uma senhora ao invés de pensar que elas brigaram por direitos iguais agora devem arcar com as consequencias;
  • Oferecer ajuda a um idoso ao invés de pensar que nunca envelhecerá;
  • Respeitar a dificuldade alheia ao invés de julgar ou caçoar;
  • Evitar piadas preconceituosas e excludentes ao invés de querer bancar o engraçadinho da turma;
  • Auxiliar um deficiente visual ou físico ou mesmo um idoso na travessia de uma rua mais movimentada ao invés de fingir que nem os viu;
  • Elogiar uma criança para seus pais ao invés de ignorá-lo, mesmo ele estando ali sorrindo pra você;
  • Evitar ser inconveniente e/ou desrespeitoso com o outro ao invés de querer sempre dizer as "suas" verdades;
  • Ser solidário ao invés de fechar os olhos para a sociedade;
  • Ser amável ao invés de ser indelicado;
  • Ser carinhoso sempre ao invés de ser frio e distante.

Ou seja ser gentil é muito simples. Basta-nos amar as pessoas como gostaríamos de sermos amados. Então, que tal parar de economizar nos carinhos, elogios e palavras doces? Que tal você ser mais presente na vida das pessoas? Que tal relevar mais? Que tal abrir mão do preconceito e abraçar a gentileza?

Para inspirá-los, segue um trecho da música "Gentileza" de Marisa Monte, feita em homenagem ao simples e lendário "Profeta Gentileza":

"Nós que passamos apressados
Pelas ruas da cidade
Merecemos ler as letras
E as palavras de Gentileza
Por isso eu pergunto
À você no mundo
Se é mais inteligente
O livro ou a sabedoria
O mundo é uma escola
A vida é o circo
Amor palavra que liberta
Já dizia o Profeta"
Àqueles que quiserem saber um pouco mais sobre o Profeta Gentileza, segue o link:
Desejo gentilmente que tenha uma boa semana e carinhosamente espero revê-los em breve!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Pequenas acontecências...


Um sorriso. Você tem noção do que um sorriso pode ser capaz? Um simples movimentar de músculos faciais. Uma expressão. Olhos que vibram junto com o sorriso! Se luminam!
Eu respondo. Um sorriso pode mudar o dia de alguém que o recebe.
Aquele dia, em que tudo deu errado. Elevador. 10 andares. você entre e sorri sinceramente pra outra pessoa. Ela retibrui. Pensa! O dia não está tão dificil assim. Ganhei um sorriso.
Eu chamo o sorriso de uma entre tantas "pequenas acontecências". E a vida é feita disso. Pequenas acontecências. Sempre pensamos que temos que fazer grandiosidades para nos tornarmos heróis para alguém. Precisa não viu. Comece praticando algumas pequenas acontecências e perceba o quanto você pode se tornar herói para alguém...
  • Abraçe de verdade, as pessoas que gosta. Não tenha medo e muito menos vergonha. Um abraço pode mudar o dia de muitas pessoas...
  • Olhe nos olhos....Como um olhar pode fazer falta
  • Deseje bom dia para as pessoas que cruzam o seu caminho. De preferência, acompanhado de um sorriso sincerto e cordial
  • Agradeça ao caixa do supermercado por atendê-lo. Agradeça ao empacotador de suas compras.
  • Ofereça ajuda para um idoso ou deficiente.
  • Sorria sinceramente para uma criança. Aliás, jamais a ignore. Elas adoram sorrisos. Mesmo os desajeitados. Basta ser sincero.
  • Seja gentil com seus familiares. Principalmente com os mais velhos.
  • Ouça atentamente aquele que lhe procura. Muitas vezes, ouvir é uma grande ajuda.
  • Evite reclamar de tudo e de todos.
  • Seja paciente com os mais velhos e com aqueles que pensam diferente de você.
  • Respeite os idosos e ajude-os, quando for necessário e possível.
  • Trate com dignidade os portadores de alguma deficiência ou limitação. Jamais sinta pena. Eles precisam de respeito.
  • Valorize os acertos alheios. Estimule as conquistas. Principalmente das crianças!
  • Proteja a natureza. Crie hábitos ecologicamente saudáveis.
  • Seja tolerante com o erro alheio
  • Doe sangue, se estiver apto. Você pode salvar vidas! Pelo menos quatro, a cada doação.
Viu, como é fácil tornar-se herói? Então sinta-se convidado a praticar as pequenas acontecências. Elas podem acontecer aqui, ali, acolá ou aí mesmo, pertinho de você...
Depois nos conte aqui, como foi praticar uma delas ou todas ao longo dos dias!
Espero revê-los em breve!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

"Santa Catarina - tem algo muito grave acontecendo"

As tragédias são por si só inaceitáveis. E uma das principais razões para não entendermos ou aceitarmos as tragédias é que ela nos mostra o quanto somos impotentes. O quanto somos dependentes de tudo. Uns dos outros. Da natureza.
E o quanto somos responsáveis, numa tragédia?
O que estamos vendo em Santa Catarina é algo que ao mesmo tempo que é alarmente, é incrível. Quantas pessoas se mobiizando em prol das famílias. Dos salvamentos. Das reconstruções das cidades. Sim. O homem é assim. Ele destrói sem pensar e ao mesmo tempo ajuda, sem medir consequencias e esforços. E são nas crises ou tragédias que conhecemos o quão grande é o poder de superação de uma pessoa, de um povo.
A natureza não tem culpa. Nem o acaso. Nem a providência divina. Acreditem. Tudo que estamos passando lá em Santa Catarina é culpa nossa. De cada um de nós. Que poluímos, que desmatamos, que invadimos terras, que entramos em reservas, que nos calamos e o pior, fechamos os olhos. A pior falta de todas, que um homem pode cometer é essa: A da omissão.
O omisso é pior que o mentiroso. Ele é pior que aquele que agride o meio-ambiente. Ele é omisso!

Segundo o dicionário, omissão é a conduta pela qual uma pessoa não faz algo, apesar de ter todasa as condições para fazê-lo.

Ou seja, o cidadão não assume um posição de vilão, por exemplo o desmatador. Ele simplesmente deixa as coisas como estão, mesmo podendo fazer algo. Por exemplo, denunciar, ou não comprar um produto pirateado, não impedir que um direito seja violado.

Meus queridos, quando algo acontece, temos que ser duros consigo mesmo. Temos que fazera mea culpa.

O planeta agoniza. E ainda continuamos andando cada um num veículo, mesmo morando todos na mesma casa e indo praticamente para o mesmo destino. Continuamos comprando coisas e mais coisas descartáveis e não reciclamos. continuamos Desperdiçando recursos naturais. Continuamos ignorando sinais da natureza, como os de agora.

A gente tem problemas? Certo! Vamos pensar naquele que perdeu um ente querido, um pai, uma mãe, um fiho, uma família inteira soterrada? E aquele que não tem mais sua casa, suas coisas, que está num abrigo, com centenas e centenas de pessoas na mesma situação. Que dependem da solidariedade para seguir. Imaginem como está a cabeça de uma crianca de 4 anos, que tinha tudo. Tinha sua vidinha simples. Tinha uma família.

O macro ambiente está grave, porém é no micro que tudo acontece. É na cabeça de um pai de família, de uma mãe que perdeu seu companheiro, num filho que perdeu seus brinquedos e seu companheiro de brincadeiras que está a gravidade dessa situação.

As cidades serão reconstruídas. As casas também. E o que será que acontecerá com cada uma dessas pessoas, que precisam do nosso amor e nossa força agora?

Ao lado, tem um link da DEFESA CIVIL DE SANTA CATARINA. Lá tem todas as informações necessárias para quem quiser ajudar de alguma forma. Ajudemos!

Lembre-se de uma coisa. Inclua, todas as noites, nas suas preces ou eleve o seu pensamento para que essas pessoas sejam confortadas e reconstruídas. Elas são mais importantes que as cidades. Acreditem!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Criança é tudo de bom!


Vocês gostam de crianças?
Eu adoro! De verdade! 

As crianças têm umas sacadas...que vou te contar. Elas são mágicas!

Simplificam tudo. Na verdade, elas descomplicam tudo.

Vou contar uma história de como criança é simples e direta:

"Seus pais resolvem trocar de carro. Talvez por um mais antigo, visando reduzir gastos. Eles estão contrariados e até tristes, pela possibilidade der ter que trocar o carro novo por um mais antigo....Aquela sensação esquisita.

Trocam de carro. E chegam com o novo "carro antigo". No íntimo, aquela sensação de "ter feito o certo". Que não havia outra solução. E assim seguem."

Agora vamos para o outro lado: O da criança.

Papai, mamãe, vocês vão buscar o carro novo? Que legal!
Chega o carro novo (na verdade mais antigo):

"Nossa que carro bonito! É mais legal que aquele outro.
Estou mais alto no meu cadeirão! Adorei esse carro novo! Era da cor que eu queria e até a música dele é mais legal."

Os pais começam a rir. Claro. Haviam aprendido uma liçãozinha naquele exato instante:
"Tudo é uma questão de ver as coisas pelo lado bom. Pelo nosso lado criança"

Agora sabe o que é mais legal de tudo? É que cada um de nós tem uma criança esperta e livre dentro de si. Muitas dessas crianças estão tão quietinhas, sufocadas, que demoram um pouco à dar as caras. Outras, vivem estampadas nos rostos de seus adultos. 

Que tal, ver aquele problema, aquela mudança ou crise com os olhos e coração de sua criança. Acredite! Faz muita diferença!

Até o som fica mais bonito!

CARPE DIEM

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Velhos amigos

A amizade é algo muito mágico. Como é bom reencontrar amigo. Amigo de verdade!
Aquele que sempre tem algo especial pra dizer, mesmo não dizendo nada.
E amigo quando é verdadeiro, encanta aqueles que o cercam.

"A amizade é a irmandade que construímos de propósito"

E a gente só sabe que amigo é amigo, com o passar dos anos
Com as distâncias
Com as ausências

Eu tenho alguns grandes amigos. Poucos, é verdade! Porém são pessoas maravihosamente especiais.
Um dos meus grandes amigos, meu grande irmão da estrada e das estações do ano vejo-o pouco. Alguns meses se passam até um próximo reencontro.

E a grande mágica é: Sempre parece que foi ontem.

Retomamos uma conversa, como se tivéssemos nos despedido, ontem à noite.
Amigo é assim. O tempo não passa. O tempo não pára.

Como diria Almir Sater em Velhos Amigos:
"Os velhos amigos
Quase nunca se perdem
Se guardam para
Certas ocasiões"


E amigo de verdade, sempre tel algo a nos acrescentar. Um simples: "Calma, irmão! Tudo se ajeita", parece ter um poder especial.

Amigo de verdade se aflige ao ver o amigo em dificuldade e socorre. Escolhe as palavras e toca em frente, conosco.

E aqui, lembro um trecho de "Amizade Sincera", de Renato Teixeira:
"Os verdadeiros amigos
Do peito, de fé, os melhores amigos
Não trazem dentro da boca
Palavras fingidas
Ou falsas histórias
Sabem entender o silêncio
E manter a presença
Mesmo quando ausentes"



Ontem tivemos uma amiga muito especial conosco.
Os nossos amigos de verdade têm uma outra propriedade rara.
Quando estamos com alguém do lado, quando deixamos de ser apenas um e construímos família, os amigos vêem juntos.
E acabam se misturando.
E ficamos felizes em tê-los conosco.

Uma sensação que nos faz pensar, "Que pessoa especial esse amigo seu. Essa amiga sua. Tá na cara que ele ou ela gosta muito de você" É a amizade verdadeira se manifestando. E nos tornamos todos nós, amigos. Por que amizade contagia!

E assim, falava a "Cançao da América", de Milton e Fernando Brant:
"Amigo é coisa pra se guardar
Do lado esquerdo do peito
Dentro do coração
Mesmo que o tempo e a distância
Digam não!"


É. Amigo é mesmo coisa pra se guardar, do lado esquerdo do peito.

Como sempre tem algo acontecendo. Que tal procurar aquele grande amigo, ou grande amiga e dar aquele abraço.
Ah! Está longe?
Liga e dá um oi, assim, de graça!
Também não dá?
Então pense nele ou nela com carinho.
Fará um bem danado.
Parecerá que vocês se viram ontem!
O bom mesmo é quem tem grandes amigos pertinho. Sempre prontos, como nossos anjos da guarda. alguns dos meus grandes amigos estão sempre por aqui.



Por isso que sempre digo: "O bom da vida é ter amigos. É ser amigo."

domingo, 23 de novembro de 2008

Amora


Engraçado como a gente escolhe algumas coisas. E vou contar uma escolha que fiz estes dias, por uma razão um tanto quanto inusitada.

Gosto de comida simples e correta no seu preço. Ah! Quem não gosta? Pois é. Me incluo entre os que gostam, então. E também tenho um outro hábito muito comum, ainda mais para um taurino, me apego fácil e pra trocar algumas coisas e alguns lugares, o novo tem que ser muito bom.

Estes dias, conheci um restaurante novo (pra mim, por que ele existe há alguns anos). Pertinho de casa. Tão pertinho que dá até prá ir a pé. E agora o motivo pelo qual resolvi conhecê-lo, pessoalmente: O seu nome. Apenas isso. O nome fantasia do estabelecimento comercial.

Mudando de assunto. Admiro incondicionalmente Renato Teixeira. Um sujeito simples no modo de falar, nascido em Santos e crescido lá em Taubaté, interior de São Paulo. E esse moço, é um poeta da música brasileira. Escreve e canta coisas lindas, simples de tudo, que tocam o coração da gente. Tem muitas músicas dele que me inspiram. Algumas são temas de minha vida, de uma amizade, de um amor, de um momento especial.

E tem uma música que me toca sempre, por sua simplicidade. Chama-se Amora. A letra tá no final deste post.

Ah! Estava falando do restaurante. Acham que já esqueci, não é mesmo?!
Eu tinha parado nesse ponto: O que motivou a minha primeira visita a este restaurante? O seu nome.
Um nome belo, simples e ingênuo como essa fruta tão pequena e delicada: Amora!

Quando li o nome do restaurante numa revista aqui da cidade, fazendo um comentário sobre um prato de lá, confesso que nem li a reportagem. Apenas me fixei no nome: "AMORA". Será que tem alguma relação com a música do Renato? E quando chego lá, não é que encontro, em cada mesa, um pequeno display com a letra da música Amora?

Pronto. Cliente conquistado! E a comida? Bem, a comida é digna do nome, gostosa, simples e delicada. E uma sobremesa maravilhosa: Sorvete de creme, com cobertura de calda de amora. Fantástico! Me senti cirança, com essa sobremesa. Voltei aquele tempo em que ficava horas num pé de amora (amoreira, pra ficar mais chique) me lambuzando e bagunçando. Por que amora lembra molecagens, brincadeiras.

Cliente mais que cativado.

O legal de um lugar assim é o atendimento. Pessoal, educado, simples. Seria tão bom se sempre fossemos atendidos dessa maneira. Me sinto muito bem "toda vez que passo lá".


Amora (Renato Teixeira)

"Depois da curva da estrada
Tem um pé de araçá
Sinto vir água nos olhos
Toda vez que passo lá
Sinto o coração flechado
Cercado de solidão
Penso que deve ser doce
A fruta do coração
Vou contar para o seu pai
Que você namora
Vou contar pra sua mãe
Que você me ignora
Vou pintar a minha boca
Do vermelho da amora
Que nasce lá no quintal
Da casa onde você mora."


Engraçado como a gente escolhe algumas coisas...

Nos vemos por aqui!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Equilíbrio

Equilibrar-se numa corda bamba...
No fundo todos nós somos equilibristas natos.
Nos equilibramos em nossos relacionamentos afetivos.
Na empresa em que trabalhamos, sejamos donos, líderes ou liderados.
Nos equilibramos no trânsito.
E muito mais ainda, na vida!

A vida é uma extensa corda bamba e com os nossos pés de equilibristas seguimos nessa corda mágica. Como todo equilibrista que se preze, é necessário muito treino, alguns tombos e chega o momento que tiramos de letras, grandes distâncias...lá nas alturas!

Equilibrar-se é compreender a necessidade do outro e a sua própria
É compreender a diferença entre considerar mudar e desistir
E o equilibrio só é alcançado com muito treino.
A primeira ferramenta do equilibro é o "saber ouvir", que é bem diferente de escutar.
Em seguida adquira a capacidade de refletir antes de falar o que pensa.

Você já percebeu que pessoas desiquilibradas fala o que vem à cabeça, muitas vezes, sem ela mesma saber exatamente o que está querendo dizer?

Equilibrio requer controle emocional. Principalmente se envolver situações críticas e várias pessoas com interesses diferentes.

Controle emocional exige que você desenvolva ou adquira outroas recursos, como segurança, autoconfiança, paciência e discernimento.

Equilibro também exige também pensamentos bons e boa fé com o próximo. Aqui o melhor treinamento é a meditação.

Calma, você não vai precisar virá um monge tibetano para isso. Meditar é equilibrar-se com seu organismo, com a natureza, com o cosmo. Pode ser feito em qualquer lugar. No transito caótico de uma grande cidade por exemplo. Basta ter uma música tranquila, pensamentos cadenciados, respiração equilibrada e pronto. O equilibro está instaurado. Observe como seu dia será melhor a partir daí e como os problemas tornar-se-ão menores, mais simples!



Eu uso como mantra, um trecho de uma músida do Walter Franco, que diz:

"Tudo é uma questão de manter
A mente quieta
A espinha ereta
E o coração tranquilo"
Vamos lá! Equilibre-se!




segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Água de Cachoeira

Você é como água de cachoeira
Que me atrai e me conduz até você
que me esfria e esquenta ao mesmo tempo
Com seus mistérios e segredos escondidos

Você é como água de cachoeira
Com seus desejos, histórias e lendas
Excitante, desejável e extasiante
Que me transporta pra bem longe...

Você é como água de cachoeira
Que segue seu curso e ama o rio
Impetuosa, corajosa e verdadeira
Poética romântica e lírica

Você é como água de cachoeira
E eu, sou como o leito do rio
Que te leva por caminhos que são nossos
E no seu curso, de novo despenca no meu leito

E assim como a água da cachoeira e o leito do rio
Somos um só!

Quedas e leito!
Curso e curvas
Margem e remanso!
''''
Você já tomou banho de cachoeira? Ainda não? Faça isso um dia.
É muito revigorante. É como se você fosse transportado para outro plano. Magia pura!
...
Nosso Brasil é rico em cachoeiras. Algumas belissimas, como a retratada acima, localizada na Estância Mimosa, em Bonito (MS).
...
Como diria Renato Teixeira, em uma de suas músicas (Ao gosto do coração):
"Pobre de quem nunca espreitou um passarinho
Nem lavou na cachoeira, algum cansaço, alguma dor"
...
Então, quem ainda não "se lavou" numa cachoeira, anote aí na sua lista de desejos e aquele que já teve esse imenso prazer, compartilhe conosco, sua experiência.
...
Certamente estimulará aquele que nunca foi e nem imagina a experiência que está perdendo.
...
Nos encontramos aqui.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Viver (ou problemas são o máximo!...)

Outro dia uma pessoa me disse: - Meu, quanto problema!

Eu mesmo me falo isso, ás vezes, ou acabo falando pra alguém. Ninguém está imune ao "surto" de se deparar com um problemão. Sabe aquela vontade danada de sumir dentro de si mesmo ou enfiar a cabeça num buraco, como um avestruz (algo me diz que isso é um mito!).

O incrível é que a gente sempre supõe que nosso problema é maior de todos! Até imagina o anúncio final: E o problema vencedor é....o SEU!

É assim mesmo. E isso tem lá seu fundo de verdade. Sempre o que você vive é mais intenso do que o outro vive. Seja problemas, paixões, amores, alegrias, etc. etc.
Agora aqui, entre nós. E o que é viver? É isso mesmo. É enfrentar problemas, dificuldades todos os dias. Já imaginaram como seria sem graça se tudo sempre fosse certinho. Do jeito que a gente quer. Que os nossos sonhos estivessem todos ali, a nossa disposição. Sem graça né?

Primeiro, que os sonhos nem existiriam. Objetivos? Até parece...Sempre tudo estaria lá. E nessa pasmaceira danada estariam nós: os felizes por natureza, po ter tudo do jeito que sempre desejamos.

Eu? Prefiro os meus problemas de vez em quando. Ainda mais quando são os vencedores!

Por isso vamos dar um viva a ese problema que está aí lhe incomodando. Nada de lamentar-se. Vamos mesmo é agradecê-lo:
-Problema! Que bom que você veio! Eu estava tão apático com tudo certinho! Valeu, meu velho! Fica mais um pouco. Preciso me mexer!

E viver é mais ou menos isso. Mexer-se! Movimentar-se. E só nos mexemos e mudamos de "lugar" quando não estamos satisfeitos com o estado atual, com o momento ou situação que vivemos.
E mexer-se é muito bom! Enxergar outras coisas e outras possibilidades nas mesmas coisas!

É isso. E viva seus problemas! De maneira honesta, realista, corajosa e nada de "lamentos", combinado?

Depois me conta como resolveu aquele problemão aí!

Ah! Acredite! Somos quem podemos ser! Somos quem queremos ser!

Até mais!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Podem voar que sou a outra asa de vocês...

Voar...voar! Liberdade...

Existem muitas formas de amar nesta vida. Amor de pais para com seus filhos. De filho para com seus pais. Amor de casal. Amor entre irmãos. Entre amigos! Amor solidário. E tantas outras formas de amar que existem neste e em tantos mundos!

E a única coisa que é comum nestes amores é um quesito básico: Liberdade. O amor jamais aprisiona. Jamais julga. O amor não pode e nem deve ser mesquinho. Amar é entender que o outro é um e que você é outro e quando o um se encontra no outro, tudo se mistura numa perfeita alquimia.

E assim são feitos os relacionamentos: De misturas! Infinitas combinações. Tipo aquelas onde o seu melhor amigo é exatamente o seu oposto! Onde o seu irmão é de um jeito e você é completamente diferente! E ainda assim existirá o amor! E caso ele exista mesmo. anote aí: É o verdadeiro!

E quando amamos, desejamos o melhor para o outro. Esperamos que ele realize seus sonhos. Que ele seja o máximo. Eu adoro amar. Até tomo alguns cuidados. Por que quando amamos demais o outro, esquecemos de amar uma pessoa importantissima para nós: "Nós mesmos!"

E por amor, abraço minha família, meus amigos, minha companheira de jornada, minha filharada, aqueles que precisam muitas vezes, apenas de um abraço.

Quem ama escuta.

Escuta e procura as melhores palavras para aquele que as busca. E amando a gente torce para que aquele sonho (sabe, aquele?) se realize e espera estar junto pra comemorar e falar com carinho: Puxa! Eu estive contigo esse tempo todo, torcendo por isso! Olha teu sonho aí! Materializado.

Um dia ouvi dizer que família a gente não escolhe, aceita (só por que somos irmãos de alguém, somos obrigados a amá- lo?); e que, muitas vezes, amigos são mais importantes que a nossa família. Sinto discordar de um absurdo desse. Nossa família, escolhemos sim.

No exato momento que somos fecundados. Queríamos estar alí, com aquele papai e aquela mamãe e com todos aqueles que fazem parte do círculo deles. E realmente não somos obrigados a amar. Até por que amor não é uma obrigação. É uma dádiva, onde quanto mais amamos, mais temos amor pra distribuir. Amor não se gasta, ele se multiplica em si mesmo! Ah! Amigos são importantes mesmo. Nem mais e nem menos que nossa família. São importantes de uma maneira diferente apenas.

E por isso que hoje digo para aqueles que amo, que confiam em mim, que estão ao meu lado, seja por laços familiares, de amizade, de companheirismo. Para todos vocês e especialmente para uma pessoa que hoje tem tantos vôos à realizar, tantas dúvidas, tantos sonhos, tanta beleza e tanta coragem:

"- Podem voar, que eu sou a outra asa de vocês!" (trecho da música João e Duvê, de Maciel Melo, para os fihos de Xangai)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Fazer brinquedos (ou como se divertir com quase nada...)

Vamos falar de jogos e brincadeiras que precisam de nada ou quase nada?
A infância hoje é um pouco diferente daquela, de alguns anos atrás. Hoje é alta tecnologia, alta definição gráfica, a interatividade (?) são os pontos altos das brincadeiras!

Eu sou do tempo do "interagir" que é bem diferente dos tempos atuais, da "interatividade". Enquanto o primeiro é a maneira como duas ou mais pessoas se "entendem" e se "entrosam" a segunda definição tem a ver com a comunicação "homem e máquina (tecnologia)". Ou seja quanto maior a interação, mais produtivo serão os relacionamntos humanos e quanto maior a interatividade, mais fácil será o "entrosamento" entre homem e máquina, consequentemente, tornar-se-á mais agradável ficar horas em frente uma máquina, jogando, conversando, etc.

As das coisas são importantes. O "x" da questão é que hoje se investe muito mais em melhorar continuamente a "interatividade" e aos poucos, deixamos de lado o mais importante, para nós, seres humanos: investir em aprimorar a "interação"

E afinal, o que isso tem a ver com brincadeiras que precisam de nada ou quase nada? Respondendo: Tem tudo a ver. Tem muito a ver.

Cresci entre poesias, poetas repentistas, jogos de tabuleiros, brincadeiras na rua de casa, estudos em bibliotecas e nas casas dos amigos. E nesse universo todo, o que mais existia era interação!

E criavámos jogos e mais jogos. Sabe o que precisávamos muitas vezes para nos divertir? Uma pedaço de papelão, umas tampas de garrafas, uns botões de roupas (que "emprestava" de minha mãe costureira), caneta e imaginação.

Eu fazia em casa, praticamente todos os jogos que gostávamos: jogo de damas, trilha, jogo da onça ou adugo (esse que está desenhado aí em cima), corridas com dados e castigos e bônus. (consistia numa grande cobra desenhada num papelão ou cartolina, quando tinha um trocado, com casas numeradas. Ou seja, uma pista numerada).

Um dos meus grandes parceiros de jogos, quando criança foi meu pai. Convivi pouco com ele (até meus 16 anos). Nesses momentos ele estava lá. E nos divertíamos por horas e horas! Riamos até! Ele adorava me enganar nos jogos. De provocação. Não era lá bom perdedor. No fim a gente se divertia mais das "estratégias de enrolação" do que do jogo propriamente dito.

Tinha as brincadeiras de correr (pega-pega, "mão na mula", "morto vivo", siga o mestre, polícia e ladrão, pular corda, futebol de rua). Aja energia pra tanta bagunça!

Jogávamos também bafo, dominó, xadrez, joquei-pow, palitinhos e tantas coisas que nem me lembro agora.

E era tão bom fazer os jogos e os tabuleiros. Criar os tabuleiros. Muitas vezes demorava tanto na tarefa de criar algo novo que já virava a diversão propriamente dita!

Quantas vezes, na casa de amigos, resolviamos brincar de algo e se faltava, logo diziam: Samuca, faz um jogo pra nós aí!. E pegava um pedaço de papel qualquer, pegava pedra ou o que tinha pela frente e criava as peças do jogo. Pronto! Todos se divertiam!

Hoje eu me lembro bastante deste tempo. Continuo criando meus jogos, acredita? Agora sou parceiro dos meus filhos. Que ainda gostam de minhas invenções, minhas pistas malucas e meus dados engraçados. E enquanto eu conseguir cultivar a interação, sobrepondo-se a interatividade, estou feliz! Meus filhos não gostam tanto assim de jogos eletrônicos e nem de internet. Usam-na, claro. Agora entre uma boa brincadeira entre nós e uma bate-papo virtual, ainda escolhem as brincadeiras! Eba!

E você já inventou algum jogo? Que tal abrir mal da interatividade por um tempo e arriscar-se a interagir mais? Com seus amigos, filhos, marido, esposa, irmãos, pais. Com todo mundo!

Ah! Ficou curioso(a) pra saber o que é jogo da onça?

Visites esses blogs:

http://tudamente.blogspot.com/2008/02/adugo-ou-jogo-da-ona.html ou http://ursasentada.blogspot.com/2006_06_01_archive.html

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Abraço (...ou coisas que deveríamos praticar sempre!)



Você gosta de abraçar? E ser abraçado? Tem gente que não gosta. Ou melhor, tem gente não suporta mesmo! Recua, quando vê aquela pessoa vindo em sua direção, com braços estendidos, abertos, prontos para o grande abraço!

...
Agora vamos lá. Imagine-se capaz de estar dentro de uma pessoa, que deseja abraçar alguém. O que o motiva nesta demonstração de carinho, nesta autoexposição, em correr o risco do outro recuar, bem no momento do abraço ou pior ainda - retribuir de maneira fria, sem graça, sem "empolgação"!
...
Sempre penso nisso, quando alguém quer me abraçar, meio assim, de surpresa. Recuar nem pensar! Frieza, pior ainda! Procuro ser digno daquela motivação do outro em demonstrar-me apreço e carinho.
...
E o abraço tem um poder incrível! 
Até por suas características.
Abraço é envolvente!
É carinhoso!
É acolhedor!
...
E o abraço tem muitas variações:
Tem o abraço dos namorados
O abraço do pai que consola o filho
O abraço de saudade
O abraço de despedida
Tem aquele outro que é o abraço que é cheio de frases, em seu silêncio:
"Olha, estou aqui. Fique tranquilo(a). Tudo vai dar certo."
Ali. Em silêncio. Tudo é dito neste abraço falante.
Tem o abraço da vitória
Aquele que é solidário
Aquele é voluntarioso
Abraço de amigo
Abraço de irmão
...
Assim como os abraços bons, distinguimos logo, um abraço ruim (existe? pior que existe). Sabe aquele abraço frio? Pois é. Tem aqueles que abraçam a distância. Não querem se aproximar. É aquele que não permite conhecer-se, com a proximidade. Tem aquele abraço meio que de lado. A pessoa não se envolve com o ato de abraçar. Tem aquele abraço pensando noutra coisa, bem longe dali. Do abraço.
...
Abraço, como tudo na vida, precisa de dedicação ao momento. Aos segundos que ele dura!
Já observou como uma pessoa fica feliz com um abraço verdadeiro? Abraço é irmão do sorriso, sabia?
...
Pode ver. Antes, durante ou após um abraço, lá esta ele: O sorriso!
...
E por falar em abraço, pare de passar vontade. Abrace mesmo! De verdade. Fará bem pra você e para a pessoa abraçada.
...
Sentiu-se bem com a ideia? Ok! Então....sinta-se abraçado(a) neste exato momento!


CARPE DIEM!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Escrever é vestir os pensamentos


Escrever é algo surpreendente! Vocês concordam?
Escrever é compartilhar. É dividir. Entregar nossos pensamentos ao próximo.
Muitas vezes, entregar nossos sonhos aos mais distantes.
Afinal, quem escreve, o faz para alguém. Nem que seja pra ele mesmo.
Enxergar seus pensamentos por um outro ângulo.
A ótica da escrita. Da idéia vestida. Envolvida.
Abraçada pelas palavras.

Escrever é abraçar carinhosamente os pensamentos.
Aquele afago, onde cada palavra busca a beleza!
Confortar o pensamento!
Que pede pra vir ao mundo, de maneira nobre!

Já imaginou quantas coisas ficavam represadas, em um ser, antes da escrita?

Eu sei. Você poderá pensar: - Ah! Mas existia a fala!

E aí eu te pergunto: - A gente fala tudo o que pensa? Nem sempre, não é mesmo? É mais comum a gente falar sem pensar, mesmo!

Escrever pra mim é algo expontâneo e natural. É como respirar. Envolver meus pensamentos em palavras, versos e prosas.

Adoro escrever. De verdade! Sou apaixonado pela escrita.
Adoro ler também. Principalmente as coisas bem escritas. E pra mim "bem escrito" está ligado a algo verdadeiro, intenso, enfim, algo de dentro. Pode vir de um escritor desconhecido. De alguém bem simples ou de alguém de grande importância no cenário literário. 
...
Ando apaixonado por Machado De Assis e Manoel de Barros, ultimamente. Excelentes!

Sem contar que existem coisas ótimas por aí, escondidas em revistas, jornais, blogs e por aí vai.
...
Tem algo mais romântico pra um pensamento do que ser vestido por letras num papel. Papel de verdade. Onde enquanto o pensamento flui o a letra é desenhada por aquela mão. Pode ser uma carta. Um poema. Uma linda história!
...
Eu ainda escrevo minhas poesias num caderno. Numa folha. E só depois digito-os. É como se a inspiracão necessitasse de minha mão, da tinta da caneta, de uma folha em branco pra vestir meus pensamentos. Meus devaneio poéticos. Minhas viagens.
...
Eu tenho poesia escrita em guardanapos de restaurante, em toalha de mesa (que mesmo depois de transferido para um computador, teimo em guardá-los, amarelados) e num pedacinho qualquer de papel.
...
E escrever é usar palavras que todo mundo usa, sob um novo prisma. Sobre escrever, falou Manoel de Barros, num trecho de "Retrato quase apagado em que se pode ver perfeitamente nada", do livro "O Guardador de Águas"
...
V
"Escrever nem um coisa
Nem outra
- A fim de dizer todas
Ou pelo menos, nenhumas

Assim ao poeta faz bem
Desexplicar
- Tanto quanto escurecer acende os vaga-lumes...
...
...VII
O sentido normal das palavras não faz bem ao poema.
Há que se dar um gosto incasto aos termos.
Haver com eles um relacionamento voluptuoso.
Talvez corrompê-los até a quimera.
Escurecer as relações entre os termos em vez de aclará-los.
Não existir mais rei nem regências.
Uma certa luxúria com a liberdade convém."
...

Bem é isso. E por falar em ecrever, andam escrevendo muito sobre Barack Obama. Que os pensamentos vestidos em palavras sobre esse moço, que já deixa sua marca na história mundial, sejam traduzidos em grandes feitos e que os pensamentos futuros sejam belos e serenos.
...
Até a proxima escrita!
...
CARPE DIEM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...